Vacina da Covid: quais cuidados devem ser tomados após a vacinação?

| | ,

Você sabia que, mesmo depois de tomar a vacina da covid, as medidas de prevenção contra a doença devem continuar? Pois é, o nosso corpo demora um tempo até conseguir criar a imunização necessária para combater o vírus.

Mesmo após vacinado, o usuário corre o risco de desenvolver a Covid, se infectar, e contaminar outras pessoas não vacinadas. Para garantir a total proteção, é necessário respeitar o protocolo de segurança.

Quer entender por que ainda é preciso se cuidar, e quais proteções devem ser tomadas? É só continuar o artigo!

Sou vacinado, por que ainda preciso me proteger?

Embora cada vacina tenha sua particularidade, no geral o processo de atuação dentro do paciente é o mesmo. O imunizante, quando aplicado, libera o antígeno (partículas mortas ou enfraquecidas do vírus) na corrente sanguínea do usuário.

Esse antígeno gera a sensibilização do organismo. Em longo prazo, o corpo do paciente desenvolve uma resposta imunológica, capaz de proteger o indivíduo de futuras infecções.

No entanto, para cada vírus existe um tempo ideal de espera, até o corpo criar a própria defesa. Ou seja, você não está protegido logo que se vacina.

O usuário pode demorar dias ou semanas até desenvolver os primeiros anticorpos. No caso das vacinas contra a Covid-19, as duas doses tornam o processo de imunização ainda mais lento. A criação dos anticorpos pode demorar 15 dias ou três meses devido a dose dupla.

Para deixar de seguir com o protocolo de segurança contra o coronavírus, primeiro é preciso que a sociedade alcance a imunização coletiva.

Imunização de rebanho

A imunização de rebanho, também conhecida como coletiva, é o cálculo utilizado por epidemiologistas e infectologistas para determinar qual a quantidade de pessoas vacinadas para que todos os indivíduos fiquem protegidos de um vírus ou bactéria.

 O cálculo considera até as pessoas que não foram imunizadas, por algum motivo. Esse número varia bastante de acordo com as características da doença e quantidade de imunizantes disponíveis. 

Vacina em duas doses

Entre as quatro primeiras vacinas criadas contra a covid 19 (a da Pfizer, a da Moderna, a da Oxford/AstraZeneca e a Sputnik V), três delas são no formato dose dupla. 

Quando o paciente toma a primeira vacina, é como se o corpo despertasse para a contaminação. Essa etapa inicial é chamada de “prime boost” pelos cientistas . O organismo reage pela primeira vez ao vírus.

Espera-se que a resposta preliminar seja lenta e ineficaz contra a contaminação. Por isso o paciente não está protegido somente com a primeira dose.

Já a segunda vacina, aplicada um ou três meses depois (varia de acordo com a marca do imunizante) vai estimular uma resposta imunológica melhor e eficiente

O objetivo é alcançar a porcentagem máxima de proteção oferecida por cada imunizante. A  eficácia das vacinas são:

  1. Moderna: 90 até 94% de eficácia
  2. Pfizer: 90% de eficácia.
  3. Oxford/AstraZeneca: 70,4% de eficácia
  4.  Sputnik V: 91,6% de eficácia
  5. Johnson & Johnson: 85% de eficácia
  6. Corona Vac: 65% de eficácia   

Se o paciente tomou a primeira dose, e se contaminou antes de tomar a segunda, ele corre o risco de desenvolver a virose da mesma maneira que uma pessoa não vacinada. Justamente porque a proteção contra o coronavírus ainda é baixa.

Caso ele se contamine logo após a aplicação da segunda dose, sem respeitar as semanas necessárias para a proteção do anticorpo, o paciente pode desenvolver a Covid de maneira média-agressiva.

O fato do usuário ser vacinado não impede a contaminação de outras pessoas. Afinal, mesmo protegido o indivíduo pode levar o vírus de um lado para o outro, contaminando o próximo.

Como ainda não existe imunizante para todos e a contaminação é alta, seguir os protocolos de segurança, mesmo depois de vacinado, previne o imunizado e as pessoas à sua volta.

Então a vacina contra a covid-19 não funciona?

Como o vírus da Covid é altamente letal, a vacina 100% eficaz ainda não foi desenvolvida. O tempo de amadurecimento e testes farmacológicos não foram o suficiente comparado com a urgência humana de ter o imunizante.

As vacinas aprovadas, até agora, somente impedem que o indivíduo desenvolva a doença de maneira agressiva. Os imunizantes não curam Covid, nem tornam o vacinado totalmente resistente ao vírus.

É preciso que o paciente respeite as normas de segurança contra a Covid e  fique atento às variantes que podem prejudicar a eficácia da vacina. Essas variantes são:

1. O tempo entre a primeira e a segunda dose

Deve respeitar a margem determinada pelo profissional da saúde. Ou seja, se vacinar no dia marcado.

2. Evitar a contaminação entre a primeira e a segunda dose

Não pode tomar o imunizante estando contaminado.

3. O paciente deve esperar o tempo mínimo de reconhecimento da vacina pelo seu próprio corpo.

Ou seja, você não está protegido antes de 15 dias de vacinado.

Então quais são os cuidados que devem ser tomados após a vacinação?

Segundo a cientista-chefe da Organização Mundial da Saúde (OMS), Dra. Soumya Swaminathan, os vacinados deverão continuar usando máscara e mantendo distanciamento. Mesmo imunizado eles porque podem ser infectados, adoecer e também transmitir o vírus da covid. 

“Precisamos presumir que as pessoas que foram vacinadas também precisam tomar as mesmas precauções até que haja um certo nível de imunidade de rebanho. Esta é uma dinâmica em um campo em evolução”.

O Dr. Mike Ryan, diretor de Emergências de Saúde da OMS, completa: 

“A existência de uma vacina, mesmo com alta eficácia, não tem garantia de eliminação ou erradicação de uma doença infecciosa, que é uma barreira muito alta para a gente conseguir superar”.

Sendo assim, agora vamos te contar quais são os cuidados que devem ser tomados após a vacinação. As recomendações não variam muito, comparado às pessoas não vacinadas, e são igualmente importantes.

  • Continue com o uso das máscaras faciais. Cubra nariz e boca;
  • Utilize álcool em gel ou lave a mão após utilizar objetos coletivos;
  • Evite aglomerações. Saia de casa somente por urgência;
  • Mantenha o ambiente arejado;
  • Respeite o tempo correto da vacinação. Não tarde para tomar a segunda dose;
  • O vacinado ainda pode transmitir a doença. Então tenha consciência de proteger familiares e amigos no grupo de risco.

O que posso fazer depois de vacinado?

Um estudo realizado pelo Centro de Controle de Doenças dos EUA , revelou que os vacinados, após esperar duas semanas após a imunização, podem: 

  • Visitar pessoas que não estão nos grupos de risco, dispensando o uso de máscara e distanciamento.
  • Viajar nacionalmente e internacionalmente sem realizar testes e quarentenas. 

No entanto, os Estados Unidos estão usando as vacinas Pfizer e Moderna, que comprovadamente barram a transmissão. No Brasil utiliza-se a Corona Vac e Oxford/AstraZeneca.

Aqui os vacinados podem visitar amigos com o uso de máscara, seja grupo de risco ou não, além de viajar nacionalmente sem testes. A quarentena foi mantida.  

Devido às mutações da Covid-19, os cientistas não sabem se uma vez vacinado o paciente estará protegido contra o coronavírus para sempre. 

Os infectologistas acreditam que a vacina, em longo prazo, deverá ser anualmente reforçada como a da gripe, para garantir a contenção da contaminação.

Gostou do post sobre os cuidados após tomar a vacina da covid? Então compartilhe nas redes sociais com amigos e familiares!

Anterior

Saiba quais são os alimentos que causam apendicite

Tipos de máscara para proteção respiratória: qual é a melhor para se prevenir da Covid

Próximo

Deixe um comentário