Tratamentos para fibromialgia: a doença tem cura?

| |

Nos consultórios médicos, entre os pacientes que se queixam de dores musculares intensas e persistentes, 5% são diagnosticados com fibromialgia. Médicos reumatologistas afirmam que 10 a 15% dos atendimentos acusam a possibilidade da doença. 

Apesar da fibromialgia ser um problema cada vez mais comum, ainda existem limitações no mapeamento da doença e seus tratamentos. Ainda não existe nenhum tratamento específico para o distúrbio, nem exame próprio para o diagnóstico.

Quer descobrir melhor quais os tratamentos da fibromialgia? É só continuar a leitura do artigo feito para você.

Os perigos do diagnóstico tardio

O pouco desenvolvimento clínico a respeito da fibromialgia é consequência dos poucos anos de estudos e descobertas do distúrbio cerebral.

Atualmente são somente 30 anos de pesquisas medicinais. Os médicos mapeiam a doença a partir da eliminação de outros diagnósticos, já que não existe um exame que permita o reconhecimento da fibromialgia diretamente.

No Brasil, 98% dos pacientes concordam que a fibromialgia é uma doença que não se conhece bem; enquanto 77% dos clínicos gerais e 84% dos especialistas acreditam que a enfermidade não é muito conhecida, inclusive entre os próprios médicos.

A longo prazo, o paciente se acostuma a conviver com a dor. Existem pessoas que se convencem de que o incômodo muscular é psicológico

A falta de compreensão médica e a baixa perspectiva de melhora fazem com que os pacientes desenvolvam quadros de depressão e ansiedade.

Segundo o portal Tribuna Uol, um portador de fibromialgia leva em média 4 anos para receber a primeira suspeita sobre o distúrbio cerebral, além de passar por pelo menos 7 médicos. 

Inicialmente, a relação entre fibromialgia e depressão/ansiedade não eram considerados pelos médicos. Foi a pesquisa realizada pela  Associação Americana de Ansiedade e Depressão, que confirmou a existências das doenças psíquicas em 20% dos portadores do distúrbio.

Afinal, fibromialgia tem cura?

A síndrome da fibromialgia não tem cura. A solução encontrada pela medicina atual é oferecer um tratamento com medicações que aliviam a dor do paciente.

Hoje em dia, não se discute a veracidade do incômodo muscular do portador. Os especialistas tentam entender a maneira como o cérebro da pessoa com fibromialgia lê a dor, para a partir daí desenvolver uma alternativa de tratamento mais eficaz e permanente.

De acordo com a Sociedade Brasileira de Reumatologia, o primeiro passo para a melhora da síndrome é permitir que o paciente e seus familiares entendam mais a doença. 

Essa rede de conhecimento permite que o portador reconheça que os sintomas são reais, e não consequências de uma doença pior ou delírios mentais.

O segundo passo é apostar em atividades físicas. Para a instituição todo indivíduo acometido pela fibromialgia obrigatoriamente deve praticar alguma modalidade.. A preferência deve ser dada a atividades aeróbicas, como dançar, andar e nadar.

O paciente deve consultar o médico especialista antes de iniciar os exercícios, além de respeitar seus limites físicos. Ao exercer a atividade o portador corre o risco de apresentar efeito contrário ao desejado, podendo agravar as dores e o cansaço.

Quais os tratamentos para a fibromialgia?

Medicamento para alívio da dor

O tratamento e alívio do incômodo da fibromialgia, geralmente, não acontece com o uso de analgésicos simples ou antiinflamatórios. No entanto, existem médicos que por não serem familiarizados com a doença, prescrevem os medicamentos. 

Os antidepressivos, relaxantes musculares e os neuromoduladores são os remédios recomendados por especialistas em fibromialgia.

 Esses medicamentos permitem um alívio maior da dor por diminuírem a quantidade de estímulo recebido pelo sistema nervoso central. As doses dos antidepressivos, por exemplo, são mais baixas, quando comparados ao tratamento de depressão ou epilepsia.

Medidas para a melhora do sono

Para tratar sintomas secundários, como fadiga e sono inadequado, é recomendado o uso de vitaminas para melhorar o trabalho do organismo.

Medidas que adequam melhor o lugar do sono, como escurecer o ambiente, diminuir claridade e ruído também são bem vindas. No caso mais grave é prescrito remédios para o paciente dormir.

Medidas para melhorar a depressão e ansiedade

Quando há presença de sintomas depressivos ou de ansiedade é recomendado o acompanhamento psicológico ou até psiquiátrico, dependendo da gravidade dos sintomas.

A terapia cognitiva comportamental e a acupuntura ajudam a aliviar o estresse e a tensão muscular. As duas técnicas são recomendadas e comprovadas como eficazes no tratamento em portadores de fibromialgia.

Alívio de sintomas como: enxaqueca, cólon irritável e bexiga intersticial

Para esse sintomas secundários é recomendado o acompanhamento constante de outros médicos especializados. Já que o tratamento deve ser mútuo a fibromialgia.  

70% dos pacientes com um diagnóstico da fibromialgia têm sintomas da síndrome do intestino irritável, segundo Sociedade Brasileira de Reumatologia

O paciente não deve insistir em medicamentos analgésicos comuns. O excesso desses remédios podem não aliviar a dor, além de acarretar consequências para o fígado do usuário.

É importante ressaltar que qualquer melhoria depende do esforço e compromisso do paciente. Atenção: às medidas medicamentosas ou não devem ser realizadas em conjunto, pois nenhuma delas é eficaz isoladamente.

Esse post sobre tratamentos para fibromialgia te ajudou? Então, compartilhe com seus amigos e familiares em suas redes sociais!

Anterior

II CONLAAH simplifica o jeito de aprender da anatomia no ensino remoto

Dormência nas pernas: saiba quando você deve se preocupar

Próximo

Deixe um comentário