A incontinência urinária (enurese) é a perda involuntária da urina pelo canal da uretra. Ela ocorre devido à uma falha na coordenação entre a bexiga e o esfíncter uretral (válvula que controla saída da urina). Porém, a boa notícia é que o tratamento para incontinência urinária é possível e apresenta como resultado uma grande melhora na qualidade de vida dos pacientes.

Quer saber um pouco mais sobre isso? Acompanhe nosso novo artigo.

A incontinência urinária

Este é um problema comum, que pode ocorrer em ambos os sexos, independentemente da  idade. No entanto, é duas vezes mais comum entre mulheres. De acordo com estudos médicos, a incontinência urinária, atinge uma em cada três mulheres com 50 anos ou mais e um em cada quatro homens a partir dos 40 anos. 

Ela pode ser causada por diversos fatores, entre eles: 

  • comprometimento da musculatura dos esfíncteres ou do assoalho pélvico;
  • gravidez e parto;
  • tumores malignos e benignos;
  • doenças que causam compressão da bexiga;
  • obesidade;
  • tosse crônica dos fumantes;
  • quadros pulmonares obstrutivos que provocam pressão abdominal;
  • bexigas que contraem independentemente da vontade, as chamadas bexigas hiperativas;
  • lesões no esfíncter masculino provocadas por procedimentos cirúrgicos. 

Quando não tratada, e existem inclusive produtos para incontinência, atividades corriqueiras podem ser comprometidas e o indivíduo passa por muitos episódios de desconforto, o que acaba afetando de forma negativa sua qualidade de vida. 

Tipos e sintomas de incontinência urinária

Antes de abordamos o tratamento para incontinência urinária, é importante que se saiba quais são seus tipos e sintomas.

  • Incontinência urinária de esforço: o sintoma inicial é a perda de urina quando a pessoa tosse, ri, faz exercício ou movimenta-se. É uma doença mecânica provocada pela falência da musculatura esfincteriana uretral.
  • Incontinência urinária de urgência: é mais grave do que a de esforço e sua característica é a vontade súbita de urinar que ocorre durante as atividades diárias, fazendo com que a pessoa perca urina antes de chegar ao banheiro. Ou seja, a bexiga se contrai fora de hora e independentemente da vontade do paciente.
  • Incontinência mista: a pessoa apresenta os dois tipos de incontinência acima descritos e o sintoma mais importante é a impossibilidade de controlar a perda de urina pela uretra.

O tratamento para incontinência urinária

O tratamento para incontinência urinária por esforço é basicamente cirúrgico. A cirurgia de Sling, é a técnica mais utilizada e a que produz melhores resultados. Ela consiste na colocação de um suporte para restabelecer e reforçar os ligamentos que sustentam a uretra e promover seu fechamento durante o esforço. 

Não se trata de uma cirurgia complexa, e cerca 90% dos pacientes com incontinência urinária por esforço ficam livres do problema de uma vez por todas.

Já o tratamentos para a incontinência urinária de urgência, é farmacológico e fisioterápico. 

O farmacológico consiste no uso diário e ininterrupto de diversas substâncias anticolinérgicas que atuam evitando a contração vesical. Esses remédios apresentam ótimos resultados e mesmo nos casos mais graves ajudam a melhorar a qualidade de vida. Porém, como todo medicamento, esses também podem apresentar efeitos colaterais, tais como: boca seca, prisão de ventre e rubor facial.

Exercícios fisioterápicos devem ser usados como método complementar no tratamento para incontinência urinária, pois sozinhos apresentam baixos resultados (somente 12% dos pacientes que fazem fisioterapia pélvica ficam livres da perda de urina).

Por fim, de alguns anos pra cá, tem-se usado também a aplicação de botox intravesical. Com isso, a contração da musculatura fica paralisada e evita-se  a perda de urina nos casos mais graves.

Formas de prevenção da incontinência urinária

Evitar a obesidade e o sedentarismo, controlar o ganho de peso durante a gestação, e praticar exercícios fisioterápicos para fortalecer o assoalho pélvico, são medidas que podem ser úteis na prevenção da incontinência urinária.

Quer saber mais detalhes sobre incontinência urinária? Confira nosso outro post com informações extras. Boa leitura!