4 principais tipos de lesões que existem e como podem ser tratadas
>>>4 principais tipos de lesões que existem e como podem ser tratadas

4 principais tipos de lesões que existem e como podem ser tratadas

Por |2019-07-16T15:09:50+00:0016/07/2019|Cuidados com a saúde, Prevenção|0 comentários

Você sabe quais são os tipos de lesões que podem afetar o esqueleto humano? Quem é atleta ou pratica esportes com frequência, já está bem-acostumado a sofrer com essas complicações ortopédicas.

Mas não se engane: qualquer indivíduo também corre o risco de se deparar com o problema. Isso porque os nossos ossos podem ser afetados em qualquer atividade — desde aquela mais simples, como praticar exercícios em casa, até as mais elaboradas. É o caso de uma subida de escada, de uma leve corrida no parque ou de qualquer outro momento de diversão.

Sendo assim, todo cuidado é pouco. O primeiro passo para se prevenir ou para reverter o quadro é conhecer a fundo os tipos de lesões mais frequentes. Para ajudar você nessa tarefa, trouxemos no post de hoje todas as informações relevantes sobre o tema. Acompanhe a leitura e fique por dentro!

1. Tipos de lesões: fratura óssea

Liderando a nossa lista de tipos de lesões, está a mais conhecida de todas: a fratura óssea. Como o nome já revela, essa complicação acontece quando há uma descontinuidade do osso, ou seja, quando ele se quebra e é dividido em dois ou mais pedaços.

A fratura pode ser causada por diversas razões. Quedas, pancadas, acidentes e qualquer outra forma de traumatismo são algumas delas. Existem ainda, situações em que, a princípio, o indivíduo sequer percebe que sofreu uma lesão, vindo a notar somente algum tempo depois, com o surgimento de um incômodo ou ao realizar algum exame de rotina.

No entanto, quando a fratura é grave, o quadro costuma apresentar bastante dor, exigindo um atendimento médico de urgência. O tratamento da fratura óssea é dividido em algumas etapas fundamentais. Veja!

  • Após o diagnóstico, o médico precisará fazer a recolocação do osso no seu lugar de origem.
  • Em seguida, o indivíduo passa por uma imobilização do local. Esse cuidado é feito com a colocação de tala gessada ou um suporte exclusivo, que serve para intensificar a cicatrização.
  • Nos quadros mais graves ou com a presença de dor, o médico também pode recomendar o uso de medicamentos, tais como antibióticos, anti-inflamatórios e analgésicos.
  • Por fim, há situações em que o paciente precisa se submeter a um procedimento cirúrgico.

2. Luxação

É provável que você já tenha ouvido falar na famosa luxação, certo? Basicamente, o problema se dá quando existe uma separação de dois ossos conectados pela articulação. Tal deslocamento pode acontecer de forma completa ou parcial, sendo responsável por prejudicar o fluxo de sangue ao redor da cartilagem e dos ligamentos da região.

A complicação costuma atingir as articulações das mãos, ombros, joelhos, quadril e cotovelos, provocando um incômodo intenso, inchaço e até restrição dos movimentos. Preocupante, não é?!

Mas afinal, quais as causas da luxação? Assim como a fratura óssea, essa lesão pode ocorrer por traumatismos diversos, além de doenças crônicas, como é o caso da

artrite e artrose. O tratamento, por sua vez, é realizado com a recolocação do osso no lugar. A região também deve ser imobilizada e o indivíduo deverá continuar os cuidados com o uso de remédios prescritos pelo médico.

3. Entorse

Se você tem o costume de realizar muitos movimentos bruscos ou tropeça com frequência, tenha cuidado: as chamadas entorses, ou torções, acontecem justamente nessas circunstâncias!

Muito comuns na prática esportiva, essas lesões ocorrem quando há uma intensa distensão dos ligamentos e de outras estruturas importantes que servem para garantir a estabilidade da articulação.

Entre os principais sintomas estão a dor intensa e o inchaço, que aparecem imediatamente após o ocorrido. Para contornar o cenário, o paciente precisará de acompanhamento médico, que envolve:

  • o uso de medicamentos, sendo os anti-inflamatórios e analgésicos os mais comuns;
  • repouso absoluto da área afetada;
  • imobilização, nos casos mais graves;
  • compressa de gelo.

4. Estiramento ligamentar

Temos ainda o estiramento ligamentar, que é causado essencialmente por torções, pressões intensas ou traumatismos variados. Em linhas gerais, o problema é caracterizado por rompimento dos ligamentos dm regiões como joelho, ombros, tornozelo e pulso. Inchaço e dor local são os sintomas que mais frequentemente envolvem esse quadro.

E não é só isso: no momento em que acontece o estiramento, é possível que o indivíduo também escute uma espécie de “estalo”, muito presente nessas situações. Nos cenários mais simples, o tratamento indicado para estiramento envolve os seguintes cuidados:

  • aplicação de gelo no local;
  • fisioterapia;
  • utilização de muletas ou talas especiais;
  • administração de medicamentos;
  • infiltração com analgésicos ou corticoides.

Nos casos mais graves, e de acordo com o local lesionado, o médico pode solicitar um procedimento cirúrgico de reparação.

Viu só como pode ser complicado? Portanto, para se prevenir de todos os tipos de lesões, invista no fortalecimento muscular, evite pegar muito pesado na musculação e, sempre que possível, pratique alongamentos corporais. Combinado?

Agora que você já sabe tudo sobre o assunto, aproveite o momento e confira a nossa seleção exclusiva de meias de compressão para corridas e varizes. De alta qualidade, esses produtos são excelentes para praticar esportes e proporcionar mais saúde e bem-estar!

Deixe seu comentário