Início>Cuidados com a saúde, Prevenção, Qualidade de Vida>Quais são os sintomas de lesão por esforço repetitivo?

Quais são os sintomas de lesão por esforço repetitivo?

Você já ouviu falar em lesão por esforço repetitivo, certo? Com grande associação ao trabalho, esse termo é, muitas vezes, empregado de forma incorreta. Afinal, você sabe exatamente do que se trata e quais são os sintomas de lesão por esforço repetitivo?

Esse problema pode ser grave, prejudicando bastante a vida de algumas pessoas. Por isso, não é interessante banalizar o tema! Continue a leitura deste post e confira mais a respeito desse tipo de lesão, como ela acontece e como preveni-la.

O que são as lesões por esforço repetitivo?

Também conhecido como LER, esse termo caracteriza lesões que envolvem mecanismos capazes de agredir o corpo, provocando dores e inflamações. Como o próprio nome diz, essas lesões aparecem após a realização de ações constantes, repetidas diariamente.

Normalmente, trata-se de lesões relacionadas ao trabalho — por isso, também podem ser conhecidas por DORT (Distúrbios Osteomusculares Relacionados ao Trabalho). Além disso, podem ser caracterizados como LER os problemas posturais ou causados por atividades de trabalho que envolvam vibração.

Vale dizer que todas essas lesões não são consideradas uma doença, mas sim problemas (ainda que graves) que podem ser evitados. Logo, também podem ser corrigidos e prevenidos.

Como essas lesões acontecem?

Há quem acredite que as lesões por esforço repetitivo estão relacionadas apenas ao uso constante de computador e notebooks, bem como a má postura ao se sentar para trabalhar. Como diz Rames Mattar em entrevista no site do Dr. Drauzio Varella, essa ideia é comum porque, quando o uso de aparelhos de informática começou a ser instituído nas empresas, os casos de LER surgiram quase como uma epidemia mundial (com a popularização da tendinite, por exemplo).

De fato, o uso do computador por horas a fio (não somente durante o trabalho), pode ocasionar lesões por esforço repetitivo, incluindo os problemas de má postura. Porém, essas lesões também podem aparecer devido a outros hábitos, que merecem igual atenção. Confira quais são eles a seguir:

  • Lesão por esforço repetitivo continuamente

Esse é o caso mais comum de LER. O esforço repetitivo pode causar lesões em diferentes grupos de pessoas, incluindo músicos, atletas, cozinheiros, motoristas, estudantes… Em suma, não somente pessoas que trabalham sentadas em frente ao computador.

  • Lesão por esforços que exigem força

Forçar demais os músculos e articulações do corpo, normalmente, traz como consequência o surgimento de dores e inflamações. Ainda mais quando realizadas rotineiramente, durante um longo período de tempo. Um exemplo de risco é o estivador, que trabalha colocando, retirando ou arrumando cargas (que costumam ser pesadas) no convés ou nos porões de embarcações.

Pessoas que operam britadeiras, além do esforço e da força, também contam com a vibração da máquina em alta intensidade — mais um elemento que pode provocar o surgimento da LER.

  • Lesão por estresse

O estresse também causa dores (nos músculos, nas costas, na cabeça) e fadiga. Nesse caso, não é necessário que a pessoa esteja exposta a condições estressantes por muito tempo. Os sintomas podem aparecer em um curto período, basta que os gatilhos para o estresse e a pressão sejam muito grandes. As consequências disso podem variar de acordo com a pessoa.

  • Lesão por postura inadequada

De fato, a má postura pode causar o surgimento de LER. E, aqui, além da postura incorreta ao se sentar, também devemos acrescentar fatores agravantes, como cadeiras e mesas não ergonômicas nos ambientes de estudo e trabalho, por exemplo. Em suma, objetos que não acomodam o corpo como deveriam.

Um músico ou estudante de música que tem o violino como instrumento, por exemplo, necessita de muitas horas de prática realizando movimentos em uma mesma posição. Postura essa que não é orgânica para o nosso corpo — ainda que seja adequada para o toque do instrumento com maestria —, portanto, pode gerar uma lesão.

A postura inadequada ainda pode provocar dores e lesões quando estamos em pé ou quando caminhamos. Os ombros arredondados e arqueados para a frente, a cabeça que se inclina demais para frente ou para trás, o posicionamento da coluna evidenciando ou não a região lombar, entre outros aspectos, podem levar a uma lesão por postura inadequada.

Quais são os principais sintomas de lesão por esforço repetitivo?

Como os demais problemas de saúde, as lesões por esforço repetitivo também apresentam sintomas característicos. Vejamos, então, quais são esses sintomas e como eles se apresentam:

  • Dor nos membros superiores e nos dedos

Em geral, costuma-se diagnosticar a LER primariamente quando a pessoa sente dores constantes em seus membros superiores, mãos e dedos. Essa dor pode se estender para o pescoço e ser bastante aguda nos ombros e em articulações como os cotovelos.

  • Dificuldades nas movimentações dos membros superiores e dedos

Devido à dor que aparece nas articulações, braços, ombros, punhos, mãos e dedos, qualquer tipo de movimentação acaba sendo prejudicada e causando ainda mais desconforto, de forma que alguns movimentos ficam impraticáveis. Por essa razão, certos casos de recuperação exigem o afastamento da pessoa dos estudos ou do cargo ou função que exerce em seu trabalho.

  • Sensação de formigamento

Outro dos sintomas de lesão por esforço repetitivo é a sensação de formigamento, que pode aparecer onde o ponto da dor for mais forte, se entendendo em alguns casos para pontos mais próximos do corpo. É muito comum, por exemplo, que quem sente dor no punho, sinta um formigamento nas mãos e nos dedos.

Como prevenir esse tipo de lesão?

A melhor maneira de cuidar para que uma lesão por esforço repetitivo não apareça é a prevenção. Para isso, compreender melhor a ergonomia (ciência que estuda a postura, o conforto e as partes mecânicas do corpo humano em relação aos ambientes de trabalho) é uma boa medida. Isso fará com que o trabalhador exija condições de trabalho necessárias e confortáveis para não sofrer tais lesões.

Em geral, o mais indicado é levar uma vida saudável e procurar se afastar (sempre que possível) das situações que geram estresse e ansiedade. Atividades físicas podem ajudar a minimizar o surgimento de problemas, assim como alongamentos e exercícios de fortalecimento muscular antes e durante o período da atividade repetitiva ou estressante.

Por fim, vale lembrar que o tratamento da LER não pode ser padrão. Ele precisa ser realizado de acordo com a situação específica de cada paciente, afinal, os sintomas são diferentes, assim como as suas causas.

Então, gostou da leitura? Agora que você já sabe um pouco mais sobre a LER, que tal continuar se aprofundando e entender também o que é tendinite e quais são suas causas, sintomas e tratamentos?

Deixar Um Comentário