Sintomas da pneumonia: como saber se é apenas um resfriado ou não?

| |

Febre. Tosse. Mal estar. Todos esses sintomas podem ser identificados tanto em pessoas com um simples resfriado, como em um indivíduo com pneumonia

Podemos nos confundir na hora de nos autodiagnosticar. Por esse motivo, é preciso ficar atento aos sinais do nosso corpo.

A grande questão é: como identificar que o que você está sentido não é apenas um resfriado?

Quais são os sintomas da pneumonia que a diferenciam de um resfriado?

Quando você achar que foi pego por uma virose comum, existem alguns sintomas da pneumonia para ficar atento. São eles:

  • febre alta: é comum que na pneumonia a febre esteja acima de 38ºC. Nos resfriados o comum é que a febre seja mais baixa;
  • tosse com secreção: em resfriados a tosse normalmente é seca, mas nos casos de pneumonia ela geralmente vem acompanhada de secreções esverdeadas ou amareladas;
  • dor ao respirar: a pneumonia causa dor no tórax. Isso acontece pois a doença se trata de uma inflamação no pulmão, que deriva da luta do nosso organismo contra o agente infeccioso. 

Existem ainda sintomas da pneumonia que se diferenciam bastante dos causados por resfriados. Como: 

  1. falta de ar;
  2. respiração acelerada;
  3. tosse acompanhada de secreções ou sangue;
  4. confusão mental;
  5. cansaço excessivo;
  6. dores musculares;
  7. mal estar generalizado.

É sempre bom lembrar que os sintomas podem variar de pessoa para pessoa, principalmente conforme a idade. Fique atento.

Principais causas da pneumonia

A inflamação dos pulmões pode acontecer de diversas formas. Apesar disso, existem as causas mais comuns de contração da pneumonia:

  • vírus e bactérias: quando esses agentes, presentes nas vias respiratórias, atingem o pulmão;
  • aspiração de corpos estranhos: acontece quando aspiramos qualquer objeto, alimento ou até mesmo o nosso próprio refluxo e eles vão parar nos pulmões;
  • equipamentos respiratórios contaminados: quando utilizamos aparelhos próprios para ajudar na respiração e eles não estão devidamente higienizados. Eles podem estar infectados com vírus e bactérias, que atingem diretamente o pulmão;
  • internação em hospitais: quando o paciente é internado em um hospital por um tempo ele fica exposto a vários microorganismos que podem gerar a pneumonia.

Como é feito o diagnóstico da pneumonia?

O principal meio usado por médicos para diagnosticar a pneumonia é a ausculta do pulmão. Com o auxílio de um estetoscópio, o médico consegue identificar o ruído causado pela pneumonia quando respiramos. 

Após esse procedimento, o paciente que possui o chiado característico da doença é encaminhado para realizar uma radiografia. Nesse passo é possível analisar melhor a situação do órgão respiratório.

Qual é a forma de tratamento da pneumonia?

O tratamento, diferente do que imaginamos, não é demorado. Apesar da pneumonia ser uma doença mais grave que o resfriado, seu tratamento nem sempre é tão complexo. A não ser em casos em que o paciente precise de internação, comum com idosos

Uso de medicamentos

Segundo especialistas, o tratamento é feito a partir do uso de antibióticos. Desde que receitados corretamente, eles levam ao desaparecimento dos sintomas de 7 a 10 dias. Geralmente os antibióticos receitados já abrangem todos os tipos de agentes causadores da doença. 

Tratamento caseiro

Além dos medicamentos receitados por um profissional especialista, existem alguns cuidados que podem ser tomados no próprio dia a dia do paciente. São eles:

  • repouso
  • alimentação balanceada 
  • ingestão de água em grandes quantidades 
  • evitar lugares públicos com aglomerações ou fechados; 
  • fazer uso de nebulizadores quando indicado; 
  • não fazer o uso de medicamentos sem indicação médica;
  • evitar mudanças bruscas de temperatura. 

Esses cuidados são essenciais para uma recuperação rápida e total da doença.

O que pode te deixar mais vulnerável a desenvolver pneumonia?

Existem situações que te deixam mais propenso a desenvolver pneumonia. Fique atento:

Consumo de cigarros

O tabagismo é o principal facilitador para o desenvolvimento da pneumonia. Fumantes têm um grande potencial de desenvolver a doença, pois o próprio ato de fumar causa uma reação inflamatória no pulmão. Isso facilita a entrada de outros agentes infecciosos no órgão.

Ar-condicionado

O uso constante de ar-condicionado também pode ser um agravante. O ar seco, consequência do uso do aparelho para resfriar ambientes e a reciclagem constante do ar aumentam a permanência de germes e bactérias no ambiente. 

Fazer parte de grupos de risco

Apesar de ser uma doença que atinge pessoas de todas as idades, a pneumonia atinge em maior escala crianças menores de 5 anos e idosos. Além disso, pessoas com doenças crônicas ou com baixa imunidade (pessoas em tratamento de câncer ou HIV, por exemplo)  também estão mais vulneráveis à doença. Por isso, o cuidado é redobrado nesses casos.

Consumo de álcool

Sim, o consumo de álcool também pode te deixar suscetível a desenvolver pneumonia. Mas por quê? O consumo de bebidas alcoólicas interfere no nosso sistema imunológico. Isso atrapalha a capacidade de defesa do nosso aparelho respiratório.

Depois de aprender a diferença entre um resfriado comum e a pneumonia, você nunca mais vai dar bobeira, certo? Fique atento aos sintomas da pneumonia e mantenha seus cuidados!

Gosta de ler sobre saúde e bem-estar? Então você veio ao lugar certo! Aqui no blog da Maconequi você encontra muitas informações sobre essa temática. Acesse e confira!

 

Anterior

O que é pneumonia e o que precisamos saber sobre essa doença?

Pneumonia viral é contagiosa? Entenda mais sobre o assunto aqui

Próximo

Deixe um comentário