Ruptura de ligamento: 3 coisas que você precisa atentar!
>>>Ruptura de ligamento: 3 coisas que você precisa atentar!

Ruptura de ligamento: 3 coisas que você precisa atentar!

Por |2019-05-10T11:47:10+00:0010/05/2019|Formação, Profissionais da Saúde|0 comentários

O ligamento, principalmente o do joelho, é uma articulação que tem exigências extremas e deve ficar estável para aguentar o nosso peso e ter liberdade na hora do movimento. Um simples deslize em uma atividade física pode provocar um incidente, que pode ser bem grave. Estamos falando da ruptura de ligamento.

Está a fim de saber mais sobre esse assunto? Então você veio ao texto certo! Vamos apresentar suas características, diagnósticos e tratamento, focando na parte dos joelhos. Acompanhe a leitura e aprenda!

1. O que é ruptura de ligamento?

Os ligamentos têm a função de unir dois ou mais ossos e proteger as articulações do corpo. Nesse texto estamos focando a nossa atenção para os ligamentos do joelho, mas os demais também possuem a mesma função.

Eles são formados por um tecido fibroso bastante resistente, mas com pouca elasticidade. Essas duas características fazem com que, em primeiro lugar, ele resista muito bem às suas necessidades mas, em casos de uma exigência maior — como uma torção — ele se rompa.

Uma lesão muito comum na prática esportiva é a ruptura dos ligamentos cruzados, justamente por conta de uma torção. Ela acontece quando o nosso pé está fortemente apoiado no chão e a perna sofre uma rotação brusca. O ligamento, responsável justamente por conter esse movimento, não aguenta com o peso do corpo e se rompe.

Faça o download deste post inserindo seu e-mail abaixo

Não se preocupe, não fazemos spam.
Powered by Rock Convert

2. Como diagnosticar?

Agora que já explicamos o que é esse tipo de ruptura, mostraremos como identificar essa situação. A articulação do joelho tem dois tipos de ligamento cruzado: anterior e posterior. Eles têm a função de impedir o movimento de translação da tíbia em relação ao fêmur e recebem esse nome porque se cruzam no centro desse local.

A melhor forma de diagnosticar a ruptura de ligamento do joelho é por meio de exames. Ao sentir qualquer lesão, é necessário buscar o auxílio de um médico. Eles se baseiam em um estudo do histórico do paciente e fazem radiografias que não causam dor. Além disso, a ressonância magnética também é utilizada, pois é mais aprofundada. Porém, a realização e a interpretação demandam um profissional experiente.

3. Qual o tratamento?

Feito o diagnóstico, é preciso ir atrás de um bom tratamento. E como conseguir isso? Indo a um profissional. Porém, é necessário entender que cada situação requer um cuidado diferente. Confira as opções.

Ligamento Cruzado Posterior

O tratamento inicial desse tipo de ruptura de ligamento não envolve cirurgia. Recomenda-se uso de anti-inflamatórios e repouso para diminuir os sintomas. A maioria tem a liberação médica para apoiar a perna no chão, mas um auxílio é importante para evitar outros traumas.

Se o tratamento não surtir efeito, será necessário fazer uma intervenção cirúrgica. O seu principal objetivo será evitar que a tíbia se movimente muito sob o fêmur e trazer de volta a função normal do joelho. Para isso, é utilizado um tendão para substitui-lo, sendo feita por meio da videoartroscopia.

Ligamento Cruzado Anterior

Diferente do LCP, este caso geralmente envolve um tratamento cirúrgico. Entretanto, alguns podem ser tratados com anti-inflamatórios ou por meio da fisioterapia, como uma ruptura parcial de ligamento, por exemplo.

Leia também como ter uma excelente recuperação pós-cirúrgica.

É importante salientar que, se não houver uma melhora, a cirurgia é o único meio a recorrer. Ela é bastante parecida com a do ligamento posterior, fazendo uma reconstrução com o uso da tíbia. Além disso, é feita também por videoartroscopia a fim de melhorar o acompanhamento do profissional. Os dois casos cirúrgicos necessitam de repouso e auxílio de sessões de fisioterapia.

Conseguiu entender o que é, como diagnosticar e tratar uma ruptura de ligamento? Esperamos que este conteúdo ajude a entender todos esses quesitos. Mesmo assim, é muito importante buscar uma especialização para compreender melhor esse tipo de situação e proporcionar o cuidado necessário.

Gostou deste post? Então assine a nossa newsletter para receber as atualizações e se manter bem-informado.

Deixe seu comentário