Início>Cuidados com a saúde, Prevenção, Produtos para Saúde, Qualidade de Vida, Terceira Idade>Você sabe quando um idoso deve começar a usar bengala?

Você sabe quando um idoso deve começar a usar bengala?

Com o avanço da idade, são frequentes os casos de pessoas que desenvolvem problemas de mobilidade. O idoso começa a andar mais devagar, se apoiando nos móveis ou nas paredes, e desenvolvendo uma certa insegurança para sair na rua sozinho. Muitas das vezes precisam de acompanhamento constante, apoiados no braço de alguém, usando como ajuda para não se desequilibrar.

A partir disso, o questionamento começa a surgir: quando um idoso deve começar a usar a bengala? Não é tão simples como ir à uma loja especializada e escolher o dispositivo mais bonito que estiver disponível. O uso da bengala deve ser feito a partir de prescrição médica, pois é preciso avaliar a situação do idoso para preservar a saúde e a qualidade de vida dele.

Quando é indicado o uso da bengala?

Como falei anteriormente, o uso da bengala deve ser feito a partir de prescrição médica. Isso porque os sintomas que afetam a mobilidade da pessoa na terceira idade podem surgir de formas diferentes. Algumas doenças como diabetes, osteoporose, artrose, AVC e Alzheimer podem contribuir com esses sintomas.

A diminuição do tempo de reação, da força muscular, da visão, da sensibilidade táctil na planta dos pés e do equilíbrio corporal que podem surgir naturalmente com o envelhecimento são manifestações dessas doenças que afetam a mobilidade do idoso. A prescrição depende das capacidades físicas e cognitivas de cada pessoa.

As principais indicações para o uso desse equipamento são:

  • aumentar a estabilidade do corpo; 
  • compensar um músculo da perna que está fraco; e 
  • aliviar a sobrecarga e a dor sobre as articulações.

Mas não é qualquer bengala que vai servir para qualquer idoso. É preciso avaliar também a altura, peso e limitação física, sensorial ou cognitiva da pessoa.

As bengalas devem ser utilizadas de forma correta para evitar o risco de queda, por isso, não é recomendado pegar bengala emprestada de outras pessoas, o correto é comprar aquela certa para o idoso. Podem ser encontradas no mercado diversos tipos de bengalas, podendo variar o material, a base de apoio, a altura e a empunhadura. Confira!

Quais são os tipos de bengalas?

Fazer duas coisas ao mesmo tempo pode se tornar uma tarefa difícil para o idoso, levando isso em consideração, a bengala ideal vai ser aquela de melhor manuseio e que mais se adequar ao idoso. Agora que já sabemos quando um idoso deve começar a usar bengala, vamos conhecer os tipos de bengalas mais populares de acordo com suas características:

Material

  • Madeira
  • Alumínio
  • Fibra de carbono

Base de apoio

  • Única (com um ponto)
  • Três apoios
  • Quatro apoios

Altura

  • Fixa
  • Ajustável

Alinhamento

  • Reto
  • Formato de C

Empunhadura

  • Tipo cabo de guarda-chuva
  • Anatômica (se encaixa perfeitamente no formato da mão)

Acessórios e outras funcionalidades

  • bengalas dobráveis;
  • com cordão para colocar o punho;
  • com assento para descanso;
  • base opcional quadripodal para encaixar em bengalas de 1 apoio; e 
  • borrachas de vários diâmetros.

Quais são os benefícios da bengala?

Aceitar a ideia de usar um dispositivo para auxiliar na locomoção pode ser complicado para o idoso. Muitos acreditam que o uso da bengala é “coisa de velho”, “coisa de aleijado” e que eles ainda conseguem se locomover bem se andarem “devagarzinho e com cuidado”.

É preciso toda uma conversa e orientação para explicar para esse idoso que esses julgamentos e preconceitos são errados e que o uso da bengala só vai trazer benefícios para eles. Com a função de proteger e promover conforto ao andar, alguns benefícios que podemos citar são:

  • diminuição da carga nos membros inferiores;
  • melhoria da dor;
  • aumento da estabilidade e qualidade da marcha;
  • promoção da autonomia do usuário; e
  • restabelecimento da força muscular e equilíbrio no tratamento de pessoas que fazem sessões de fisioterapia.

No começo, pode ser difícil para o idoso se adaptar ao novo dispositivo, mas isso é normal. Quando prescrita por um médico, o próprio profissional irá orientar e treinar o paciente para usar a bengala de forma correta ao andar e subir e descer escadas.

Cuidados básicos ao usar uma bengala

Para quem já usa o dispositivo, é preciso observar sempre se a ponteira de borracha está desgastada para poder trocá-la. Agora, quem vai começar a usar a bengala deve ficar atento, pois o uso inadequado pode causar dores e até queda.

Algumas dicas básicas para quem vai começar a usar uma bengala são:

  • a altura ideal da bengala é aquela que permite que o cotovelo esteja fechado em uma angulação de aproximadamente 25º;
  • o dispositivo deve ficar sempre próximo ao corpo, nunca muito a frente e nem muito para o lado;
  • o lado correto de segurar a bengala é do lado oposto ao membro afetado.

Deixar Um Comentário