Quais são os tipos de micose na pele e como tratar?

| |

Para aparecerem, as micoses precisam de um meio úmido, abafado e quente. Se você tem o costume de andar com peças de roupas molhadas de suor por muito tempo, está mais do que na hora de rever esse costume.

Manter a pele limpa e arejada são as melhores maneiras de evitar micose. Apesar do problema cutâneo ter tratamento, o quadro de irritação pode ser persistente e altamente contagioso.

Listamos para você e x casos mais comuns de tipos de micoses na pele e como tratá-las. Para descobrir é só continuar a leitura do artigo.

Tipos de micose na pele: Tinea (impingem)

A micose tinea é a irritação cutânea mais comum entre as micoses. Existem variações dela, podendo atingir couro cabeludo, dobras do corpo como virilha, axilas, parte de trás de joelhos e cotovelos.

Tinea do couro cabeludo 

Trata-se da dermatofitose mais comum em crianças de 2 a 10 anos, acometendo o couro cabeludo e os cabelos. A irritação provoca queda de cabelo e descamação da região, o que produz caspas finas e esfarelentas.

Lactantes e adolescentes também podem manifestar esse tipo de micose. Alguns pacientes sentem coceira intensa e persistente que só se alivia após o uso de medicamentos tópicos como shampoos e condicionadores

Esse tipo de micose provoca também as chamadas Quérion. Essas são placas vermelhas e inchadas, que coçam e podem conter inflamações com secreção. 

A tinea capitis é diagnosticada com base na aparência e nos resultados do exame de amostra de cabelos arrancados ou da descamação do couro cabeludo. Os médicos examinam as amostras ao microscópio ou à cultura dos fios e couro cabeludo.

Tratamento para tinea do couro cabeludo

O tratamento consiste em:

  1. Uso de shampoos ou loções com alcatrão, antimicótico, ácido salicílico,  sulfeto de selênio ou à base de propionato de clobetasol.
  2. Aplicação de antifúngicos, como por exemplo o cetoconazol.
  3. Consumo via oral de medicamento antimicótico 

Tinea de corpo

Micose de pele pode aparecer em qualquer parte do corpo. Geralmente aparece após o contato direto com alguém contaminado, ou utensílios pessoais da pessoa com a micose, por exemplo roupas, sapatos e toalhas. 

A tinea de corpo tem o formato de placas arredondadas escamosas, vermelhas e que causam muita coceira. No Brasil são 2 mil casos de tinea corpórea ao ano. O diagnóstico já é reconhecido pela própria pessoa ao perceber a coceira incomoda.

Quando o paciente procura ajuda médica, o especialista examina a área afetada através de uma raspagem de pele ao microscópio, para confirmar o diagnóstico.

A pessoa que esteja passando por esse quadro de infecção cutânea deve deixar suas roupas e produtos pessoais separados, e ferver em água quente com antifúngicos os utensílios que puderem ser lavados.

Tratamento para tinea de corpo

Em geral, trata-se de cremes e pomadas anti fúngicos ou medicação via oral. Para a tinea corporis são pré-inscritos medicamentos com imidazol, ciclopirox, naftifina ou terbinafina para uso direto na área por 2 a 6 semanas.

Se for interrompida a aplicação do creme com muita antecedência, a infecção pode não ser completamente eliminada e a erupção volta a surgir.

A via oral de antimicóticos é uma opção para as pessoas com doenças que causam debilitações, como diabetes. A ingestão é administrada por 2 a 3 semanas.

Tipos de micose na pele: Candidíase

Essa é uma micose mais específica, causada pelo fungo cândida na região vaginal e na boca (“sapinho”) e também em regiões de dobras. 

Quando é vaginal, normalmente é acompanhada de corrimento; a oral traz manchas brancas no interior da boca e rachaduras do lado de fora. 

O fungos que causa a candidíase está presente, naturalmente, na mucosa da boca e região vaginal. A micose pode se intensificar devido a alterações na imunidade, por exemplo, levando ao aparecimento dos sinais e sintomas persistentes.

Pessoas que convivem com diabetes, Síndrome de Down, leucemias, uso de antibióticos sistêmicos, corticoides e imunossupressores têm maiores chances de desenvolver a micose.

Tratamento para candidíase

O tratamento consiste na limpeza e remoção das lesões com solução de nistatina. Caso a candidíase não esteja em nível avançado, a aplicação de soluções tópicas costumam tratar a micose.

Se a doença estiver em estado grave trata-se com remédios antifúngicos orais, como o Fluconazol, segundo indicação do médico. Também é recomendado pomadas e cremes específicos para o fungo cândida.

Tipos de micose na pele: Pitiríase veicular 

Popularmente conhecida como pano branco ou micose de praia. Esse é um tipo de micose causado pelo fungo Malassezia furfur, que produz uma substância que impede a pele de produzir melanina quando exposta ao sol.

Em vez da pessoa ficar bronzeada de maneira homogênea, algumas bolas esbranquiçadas, de tamanhos diferentes e bordas definidas, aparecem.

 A pitiríase veicular é comum entre adolescentes e adultos jovens. As lesões se localizam no pescoço, na face, nas costas e nos membros superiores.

Tratamento para pitiríase veicular

 Tratamento tópico prolongado (acima de 2 meses) com cremes antifúngicos e xampus pode ser suficiente. Em geral, opta-se por medicamentos com a substância Fluconazol. 

 Se a micose voltar logo após o tratamento, deve-se ir ao dermatologista para um tratamento mais específico.

Tipos de micose na pele: Pé-de-atleta (frieira)

A micose pé-de-atleta também é conhecida como frieira. Essa é a micose mais popular entre todas as demais e também a mais contagiosa.

Ela é provocada pelos fungos Trichophyton, Microsporum ou Epidermophyton, que afetam principalmente regiões na sola e entre os dedos do pé. Os sintomas principais são descamação da pele e coceira intensa.

 As condições mais comuns que levam à frieira são deixar os pés abafados em sapatos fechados por muito tempo ou andar descalça em ambientes potencialmente contaminados, como beiras de piscinas e vestiários públicos (de academias e clubes, por exemplo).

Tratamento para pé-de-atleta

A aplicação de pomadas, cremes e gel anti fúngicos são o tratamento mais comum ao combate desse estilo de micose.

Caso o procedimento não diminuir a frieira  pode ser necessário o uso de comprimidos antifúngicos, via oral, de Itraconazol, Fluconazol ou Terbinafina, por cerca de 3 meses.

E ai, curtiu o post? Compartilhe com seus amigos e familiares nas redes sociais!

 

Anterior

“Fala, Medcaster!”: podcast produzido por estudantes simplifica a medicina para alunos da saúde e pacientes

O que é melanoma? Conheça os principais tipos e sinais

Próximo

Deixe um comentário