Os principais tipos de câncer de mama são 5. É preciso conhecê-los para se prevenir. O cancer de mama é o que atinge os maiores índices de ocorrência entre mulheres o mundo.  2,1 milhoes de casos foram diagnosticados no mundo em 2018.

O INCA fez uma previsão de que devem surgir 66.280 novos diagnósticos por ano entre 2020 e 2022. Isso  corresponde a um risco superior a 60 casos em cada grupo de mil mulheres.

Esses dados são bastante alarmantes. Vale analisar e ficar por dentro do tema. Leia mais sobre ele aqui!

Atenção ao surgimento e sintomas

O câncer de mama origina-se do desenvolvimento atípico das células alteradas no seios. Mutações genéticas podem ocasionar o surgimento e proliferação dessas células. O problema tende a agravar-se nos casos em que a doença demora a ser descoberta.

Na fase inicial, o câncer age em silêncio e não manifesta sintomas. É possível, porém detectá-lo através de mamografias. Em estágios mais avançados pode ser perceptível ao toque. Esse já é um momento bastante delicado.

A prevenção parte da intimidade da mulher. O auto conhecimento e o auto exame podem ser chave de acesso a segurança. A mamografia é essencial a partir dos 45 anos, já que a possibilidade de aparecimento aumenta após os 40 anos.

Nem todas as mulheres sabem, mas há aquelas que possuem a chamada mama densa: áreas sólidas e densas podem ocultar formações císticas. Nesse caso o câncer pode ser mais difícil de detecção sendo necessário exames complementares.

A ultrassonografia pode ser necessária nesses casos e aproximadamente 95% deles podem ser detectados pelos exames. Como o conhecimento leigo é bastante limitado, torna-se essencial o acompanhamento ginecológico regular e o olhar clínico do profisional.

Sinais físicos:

  • Assimetria no formato;
  • Alterações nos mamilos, tais como dor ou inversão;
  • Vermelhidão;
  • Inchaço e alteração de temperatura;
  • Mudanças no tecido externo e visível;
  • Presença de secreção escura;
  • Surgimento de nódulos.

O aparecimento de alguns desses sinais combinados e até mesmo isolados deve ser verificado o mais rapidamente possível.

Neste estágio exames específicos e a orientação do médica especialista é fundamental. A sobrevida da paciente dependerá da conduta adotada.

5 tipos de câncer de mama podem ser identificados

Cinco tipos diferentes de câncer de mama podem acometer uma mulher e é preciso conhecê-los para lidar com eles:

Carcinoma Ductal Invasivo

É o mais frequente e chamado de infiltrante. Localiza-se no ducto mamário. Sem tratamento destrói a princípio a parede do ducto e se espalha pelo tecido do seio. A sequência pode ser um quadro de metástase, se espalhando pela corrente sanguínea e sistema linfático.

Carcinoma Ductal in Sito

De ação mais limitada, pois não tende a se espalhar por pelo tecido adiposo da mama, está no começo e as células maléficas. É encontrado em cerca de 20% das pacientes. É de agressão mais reduzida e combatido com mais sucesso, exigindo tratamentos mais suaves.

Carcinoma Lobular in Situ

É o segundo na lista dos tipos mais encontrados. Desenvolve-se a partir dos lóbulos das gLândulas mamárias que não romperam a parede. De ação menos agressiva e passível de tratamento.

Carcinoma Lobular Invasivo

Liga-se em geral ao aparecimento de câncer no ovário. Ataca ambas as mamas nos lóbulos mamários e se alastra pelo tecido em torno do lóbulo. O diagnóstico é mais complexo e pode ter efeitos severos, epalhando-se pelo corpo.

Doença de Paget

Raro, ataca tecidos conjuntivos e auréolas ou mamilos. Pode manifestar sintomas de queimor, sensibilidade, vermelhidão, coceira, inflamação e formação de crosta. Podem surgir sintomas indefinidos e avançar pelo corpo em estágios adiantados.

É importante estar alerta!

A grande ocorrência ao redor do mundo gerou uma mobilização para conscientizar as  mulheres da necessidade de se cuidar. Toda mulher corre riscos de se tornar vítima de algum tipo de câncer.

As chances aumentam quando há ocorrência de casos no histórico familiar. Conhecer a história da família, estar por dentro das descobertas e não se furtar ao acompanhamento podem ser estratégias muito assertivas na prevenção e combate.

É preciso que a população lute também por políticas públicas de prevenção e tratamento. Estudos indicam que 73% dos casos podem ter boas chances de cura se descobertos precocemente.

Além de tudo invista em sua qualidade de vida, cuide-se! Regule o peso, pratique atividade física, não abuse de bebidas alcoólicas, evite fumo e o uso prolongado de TRH.

Todos esses cuidados podem influenciar seu bem-estar. Estar em paz, evitar situações de estresse e cuidar do equilíbrio emocional de forma geral, ajudará a manter um ritmo que favorecerá sua saúde.

Nosso Blog está sempre publicando conteúdos informativos dessa natureza. Leia e se informe. Informação salva vidas.