Preparação para cirurgia: entenda como deve ser feita!
>>>Preparação para cirurgia: entenda como deve ser feita!

Preparação para cirurgia: entenda como deve ser feita!

Por |2019-12-19T14:03:47+00:0021/06/2019|Formação, Profissionais da Saúde|0 comentários

A preparação para cirurgia de um paciente é umas das etapas mais importantes de todo o processo. Feita com os devidos cuidados, ela garante o bom resultado da cirurgia, diminui o risco de complicações pós-operatórias e torna o procedimento mais seguro e eficaz.

Ela vai depender basicamente do diagnóstico clínico do paciente e do tipo de cirurgia a ser realizada. Em alguns casos, a pessoa deve ser internada com dias de antecedência e permanecer em observação. Já em outros, admissão, procedimento e alta acontecem todos no mesmo dia.

Acompanhe a seguir como é geralmente feita a preparação dos pacientes para uma cirurgia.

Preparação para cirurgia

A preparação para cirurgia não é a mesma para todos os pacientes e tipos de procedimentos. Entretanto, há algumas indicações básicas que devem ser seguidas para garantir um bom resultado pós-operatório.

Exames pré-operatórios

A maioria das cirurgias requer a realização de exames laboratoriais antes da admissão no hospital. Isso é feito para identificar possíveis problemas que possam complicar a operação, caso não sejam detectados e tratados antes do procedimento. O cirurgião frequentemente verifica os exames anteriores do paciente e solicita a realização de outros, como:

  • radiografias;
  • eletrocardiograma;
  • contagem de glóbulos brancos;
  • aferição da temperatura e pressão arterial;
  • exames de sangue, urina e fezes.

Os testes a seguir, feitos com amostras de sangue e urina, medem certas substâncias e eletrólitos no corpo:

  • glucose: ajuda a identificar as causas da transpiração excessiva com tremor ou ansiedade, fraqueza muscular, diabetes, pancreatite, fibrose cística, estado mental alterado e alcoolismo;
  • potássio: para identificar causas de vômitos, diarreia, insuficiência cardíaca congestiva, fraqueza muscular, dano tecidual, hipertensão e diabetes;
  • sódio: ajuda a identificar desidratação, doenças respiratórias, doença do sistema nervoso central, insuficiência cardíaca congestiva e cirrose hepática.

Cuidados pré-operatórios específicos

Quando há indicação de anestesia geral, o paciente deve ser orientado a jejuar por pelo menos 8 horas antes da cirurgia. A maioria das instruções indica que nada deve ser tomado por via oral após a meia-noite, na noite anterior ao procedimento.

Procedimentos que envolvem o sistema digestivo exigem bebidas especiais, laxantes e uma dieta alterada. O trato digestivo deve estar o mais vazio possível antes da cirurgia para evitar o vazamento de seu conteúdo para a cavidade abdominal.

Suspender a prescrição e os medicamentos de venda livre que “afinam” o sangue, como a aspirina, também é uma prática comum. Pacientes que tomam medicamentos prescritos regularmente deverão discutir a continuação ou suspensão com o cirurgião.

No pré-operatório imediato, o anestesista deverá coletar informações sobre esses medicamentes de uso contínuo, alergias e reações adversas prévias à anestesia. Essas informações ajudam o profissional a selecionar os agentes anestésicos e dosagens mais adequados para evitar complicações.

Orientações e acolhimento do paciente

Uma operação costuma ser um evento preocupante, independentemente do procedimento. Os pacientes recebem com frequência uma longa lista de ações que devem ser feitas ou evitadas antes da operação. Porém, muitos se esquecem de perguntar sobre os procedimentos porque estão preocupados demais com a cirurgia em si.

Um bom atendimento pré-operatório deve ser capaz de esclarecer cada passo da cirurgia, quais serão os cuidados pós-operação e o tempo esperado de recuperação. É importante conversar com o paciente. Quanto mais consciente ele estiver sobre tudo o que vai acontecer, menos ansioso ele ficará, o que aumenta as chances de recuperação rápida e sem complicações.

A preparação para cirurgia tem um papel fundamental no prognóstico de qualquer procedimento cirúrgico. Embora alguns casos exijam cuidados específicos antes da operação, é imprescindível que o cirurgião e todos os profissionais envolvidos no procedimento tenham acesso ao histórico de saúde e aos resultados dos exames pré-operatórios do paciente.

Este, por sua vez, deve ser bem orientado quanto aos preparativos e informado sobre todas as etapas do tratamento. É comum que as pessoas se sintam ansiosas e apreensivas antes de um procedimento invasivo.  Um bom, portanto, pré-operatório deve esclarecer todas as dúvidas do paciente e acolher suas angústias.

Quer ter acesso aos nossos conteúdos sobre a área da saúde em primeira mão? Então não deixe de nos seguir nas redes sociais. Estamos no Facebook e no Instagram!

Deixe seu comentário