Parto humanizado: saiba como acontece esse momento para a pessoa gestante

| |

No Brasil, a violência obstétrica atinge cerca de 45% das pessoas gestantes na rede pública e 30% na rede privada. Visto que esses dados estão diretamente ligados à desumanização dos partos, se faz necessário entender mais sobre o parto humanizado

Segundo pesquisas, profissionais de saúde têm utilizado intervenções desnecessárias no momento da concepção. Um exemplo disso é o alto índice de cirurgias cesarianas realizadas no Brasil. Uma vez que o país ocupa a 2ª colocação no ranking mundial.

A porcentagem ideal de cesarianas é de 15%, mas chegamos a 57%, segundo a OMS. Para especialistas, números como esses contribuem para a desumanização da assistência médica e podem aumentar a mortalidade materna e perinatal. Pensando nisso, você sabe o que é o parto humanizado?

O que é parto humanizado?

Diferente do que muitos pensam, o parto humanizado não pode ser considerado um tipo de parto (normal ou cesariana). Essa nomenclatura diz respeito ao tipo de assistência que a pessoa grávida recebe ao dar à luz. 

O local de nascimento também não interfere na humanização. No imaginário de muitos o parto humanizado acontece sempre em um ambiente íntimo, ou na água, mas não é verdade. Esse tipo de parto também pode ser realizado em hospitais.

Na assistência humanizada, as necessidades e desejos da pessoa gestante são prioridade. Diante disso, a equipe médica interfere somente se necessário, caso haja algum problema, por exemplo. O objetivo é deixar que o processo fisiológico aconteça naturalmente. 

Sabendo disso, podemos afirmar que todo parto normal é um parto humanizado?

Todo parto normal é humanizado?

Não, nem todo parto normal (por via vaginal) é humanizado. Acontece que a humanização do parto está no tipo assistência durante todo o processo e não pela via.

Ou seja, para ser de fato humanizado o parto deve ocorrer respeitando as necessidades da mãe e do bebê. Por isso durante o parto não podem existir interferências desnecessárias como:

  • a manobra de Kristeller: quando o profissional de saúde sobe em cima da mulher para empurrar a barriga;
  • a limitação da movimentação da mulher durante o trabalho de parto;
  • a omissão de informações importantes;
  • execução de procedimentos sem o consentimento da mulher;
  • episiotomia durante um parto normal: corte realizado na vagina para facilitar a passagem do bebê.

Esses são alguns exemplos do que não pode ocorrer em um parto humanizado. Mas será que pode haver humanização durante um parto cesariano

A Cesariana também pode ser humanizada?

Sim, segundo médicos especialistas da área, o parto humanizado cabe em todas as condições de nascimento. Nesse caso, a inclusão da mulher como protagonista de todo o processo é o que faz a cesária ser considerada humanizada.

Além disso, a indicação da cesárea deve ser baseada em evidências científicas para que o processo esteja incluso nesse segmento. 

Existem ainda alguns procedimentos que podem ser adotados durante o parto cesariano para que ele seja considerado humanizado. Conheça os principais:

  • manter um diálogo constante entre a equipe e a pessoa que está dando à luz;
  • garantir acompanhante na sala de parto;
  • preservar o ambiente do parto evitando ruídos altos e conversas paralelas;
  • permitir o contato do bebê com a mãe assim que ele nasce;
  • garantir a amamentação na primeira hora de vida do bebê (hora de ouro).

Esses são os principais procedimentos para que o momento do parto seja mais respeitoso para a pessoa gestante. Mas quais são as vantagens de optar por esse tipo de prática ao dar à luz?

Vantagens de um parto humanizado

As vantagens de ter um parto humanizado são inúmeras, tanto para o bebê quanto para a pessoa grávida. A começar pelo menor risco de complicações durante e após o parto, para ambas as partes.

Além disso, a recuperação da parturiente pode ser ainda mais rápida, uma vez que intervenções médicas não são usadas desnecessariamente. 

Nesse caso o respeito à diversidade cultural, religiosa, psicológica e emocional também faz todo o processo ser muito mais agradável. 

Além do mais, acompanhe a lista com as principais vantagens do parto humanizado para saúde da mãe e do bebê:

  • reduz risco de depressão pós parto;
  • reduz o risco de infecção;
  • diminui o nível de estresse e ansiedade;
  • aumenta o período de aleitamento;
  • recém nascido mais calmo.

Essas são algumas das motivações positivas para escolher uma assistência médica humanizada durante o parto.

Gostou de entender mais sobre o parto humanizado e suas características? Então acesse o blog da Maconequi. Aqui temos muito mais sobre saúde e bem estar para você!

 

Anterior

Lesão por Esforço Repetitivo (L.E.R): saiba o que é e como prevenir

Cuidados pós cesárea: entenda o que precisa ser feito nesse período

Próximo

Deixe um comentário