O que é escoliose: saiba como identificar e se tem cura

| |

Já explicamos aqui no blog o que são os desvios de coluna, bem como o que é cifose e lordose. Mas hoje, vamos explicar com mais profundidade o que é escoliose para que você saiba identificá-la corretamente. 

Acompanhe e  saiba mais sobre esse problema que ataca milhares de pessoas. 

O que é escoliose

Cifose, lordose e escoliose são desvios de coluna que ocorrem quando há redução ou aumento acentuado de uma ou mais curvaturas da coluna. Elas podem comprometer e prejudicar o bom desempenho de suas múltiplas funções.

Apesar de se manifestar em qualquer fase da vida, a doença costuma ser mais frequente durante a puberdade e pode ser classificada em:

  • Estrutural: a deformidade óssea está correlacionada com um problema congênito ou adquirido, que afeta diretamente determinado segmento da coluna e, na maioria dos casos, é irreversível. 
  • Funcional (não estrutural): nesse tipo de deformidade a estrutura óssea permanece preservada e as curvaturas surgem como manifestação secundária para compensar os desajustes causados por um distúrbio em outra parte do corpo, como o crescimento assimétrico das pernas, por exemplo. Em geral, pode ser corrigida com tratamento.

A idade é considerada um dos fatores de risco para a doença, em virtude do desgaste natural dos ossos, dos discos intervertebrais e dos ligamentos que pode advir com o envelhecimento. 

A lordose, na maioria das vezes, está associada ao surto de crescimento que se instala no final da puberdade e se intensifica na adolescência, sendo mais comum nas meninas do que nos meninos.

Como identificar a escoliose

Ao contrário da cifose e da lordose, consideradas desvios fisiológicos normais da coluna vertebral e que só podem ser observados com a pessoa de perfil, a escoliose é uma curvatura anormal da coluna para um dos lados do tronco, determinada pela rotação das vértebras. 

Assim, essa deformidade pode ser vista olhando a pessoa de costas, já que seus portadores apresentam o corpo inclinado lateralmente. 

Causas e sintomas 

Os desvios anormais da coluna podem ter explicação genética ou serem provocados por anomalias congênitas ou adquiridas ao longo da vida. 

Eles podem ainda estar associados a alterações ósseas, musculares ou neurológicas do organismo causadas por hábitos posturais inadequados, traumatismos, tumores, obesidade, atividade física imprópria, vida sedentária, tabagismo.

Nos estágios iniciais da doença até o período final do crescimento, as dores nas costas costumam ser leves. Porém, com a evolução da doença e o aumento dos desvios no tórax, as dores podem se agravar e se tornarem incapacitantes.

Tratamento

Importante frisar que quanto mais cedo for feito o diagnóstico e iniciado o tratamento, mais fácil será evitar as complicações da doença.

O tratamento costuma ser conservador e leva em consideração as peculiaridades de cada caso, como a idade do paciente, o grau e padrão da curvatura, as características da deformidade instalada e também a intensidade da dor. 

O objetivo do tratamento é interromper a progressão da doença e recuperar as funções da coluna vertebral, bem como aliviar os sintomas. Ele inclui técnicas de fisioterapia, como a RPG (Reeducação Postural Globalizada), exercícios de alongamento e para fortalecer a musculatura. 

Órteses, como palmilhas e coletes ortopédicos, podem ser úteis para interromperem a progressão da curva e, na medida do possível, manter ossos e articulações na posição adequada. 

Pode ser necessário também o uso de medicamentos anti-inflamatórios, analgésicos e relaxantes musculares para alívio da dor.

Já a cirurgia, ela só é recomendada quando o desvio é superior a 50º, a dor é intensa e há comprometimento da função pulmonar.

Gostou? E para saber mais sobre desvios na coluna como cifose, lordose e escoliose, e outros problemas de saúde, continue acompanhando nosso blog. 

Anterior

O que é cifose: saiba os sintomas, causas e tratamentos

Porfiria Aguda Intermitente: o que é essa doença?

Próximo

Deixe um comentário