O que causa dermatite? Saiba tudo o que precisa aqui

| |

Não é comum uma pele saudável sofrer com casos de vermelhidão, coceira, descamação ou bolhas. A dermatite é uma doença de pele, que causa reações inflamatórias. Comum entre pessoas de qualquer sexo ou idade, inclusive bebês.

A doença não é contagiosa e existem pessoas que já possuem predisposição para desenvolvê-la. Para garantir um tratamento eficaz, é necessário o acompanhamento médico adequado, principalmente os pacientes de pele negra.

O alto nível de produção de melanina dificulta a identificação da vermelhidão ou inflamação nos afrodescentes. O paciente, por não reconhecer de imediato a dermatite, pode tardar no tratamento e agravar o quadro, por isso o diagnóstico médico é essencial.

Principais causadores da dermatite

Os principais causadores da dermatite podem ser o excesso de banho quente, alergias e efeitos colaterais de medicamentos. Quer saber mais sobre cada tópico? É só continuar no post!

Excesso de banho quente

O banho quente está na lista dos hábitos mais relaxantes e quase indispensáveis no cotidiano de diversas pessoas. Esse é o motivo mais comum entre as irritações de pele.

 Se banhar uma ou duas vezes na semana com a água quente não faz mal, o problema é o consumo constante e por longa horas

A água em alta temperatura, quando em contato com a pele, remove a camada de proteção da epiderme. É a perda dessa proteção que provoca a desidratação e a diminuição da oleosidade, responsáveis pela descamação da região.

A pele, então, começa a apresentar um aspecto craquelado, esfarelento e ressecado. A coceira e as alergias surgem a partir dessa descamação causada pela água quente.

Em casos mais graves, a desproteção da epiderme pode desenvolver quadros de eczema e até infecções causadas por contaminação de bactérias, fungos e vírus.

Alergias

As alergias podem ter diversos causadores, nesse post vamos falar sobre materiais sintéticos, níquel, cosméticos e produtos de limpeza. 

  • Materiais sintéticos

Pacientes que já possuem predisposição em desenvolver dermatite, provavelmente têm alergia a materiais ou substâncias, como o poliéster que, quando em contato, agride a pele indiretamente.

Para o desespero das mamães e papais, aqui se enquadra o caso dos bebês que, devido ao material sintético das fraldas, sofrem com coceira, bolhas e vermelhidão nas partes íntimas.

Pode acontecer do bebê, ao crescer, perder a alergia aos materiais sintéticos. Aqueles que continuarem com a irritabilidade, mesmo depois de crescidos, vão enfrentar o desafio da inflamação causado por alça de bolsas, bancos de carro e roupas com materiais plastificados ou  elásticos.

  • Níquel 

Em geral, o motivo das alergias podem ser diversos e somente o diagnóstico de um alergista pode apontar a exata causa da irritação. Existem pessoas que não conseguem usar acessórios de níquel, por exemplo.

O material prateado é utilizado na produção de jóias. Assim como os materiais sintéticos, o níquel irrita a pele provocando a dermatite.  As mulheres são as principais afetadas por essa alergia.

Os pulsos, devido a relógios e pulseira, o lóbulo da orelha, com os brincos, o abdômen, devido ao fecho dos vestuário e as mãos, por causa dos anéis, são as principais regiões afetadas pela dermatite de contato causada pelo níquel. 

Se o paciente insistir no uso dos acessórios a irritação pode agravar em um quadro sério de descamação, principalmente na região das mãos.

  • Produtos de limpeza

Por mais inofensivos que os produtos de limpeza pareçam ser, alguns deles causam dermatites tão severas que a prescrição médica mais eficaz é abandonar de vez o consumo do agente limpante.

Entre os produtos de limpeza mais comuns, o cloro, ou água sanitária, é considerado o mais agressivo. Além de irritar a superfície da pele, essa substância química agride as vistas e as vias respiratórias

Ao longo prazo, o cloro vai removendo a camada protetora da epiderme, deixando a pele exposta às ações diretas do produto. O contato do cloro com a pele pode causar inflamações, que ardem como queimaduras e podem conter pus.  

Quando a orientação médica, em caso de dermatite, permite o uso do produto químico, é necessário a diluição da substância em água. Auxilie sua proteção, utilizando luvas de proteção, uma baixa dosagem do produto na hora da limpeza e até máscara

  • Cosméticos 

Se sentir cheiroso e perfumado parece ter apenas benefícios, mas é o agente químico, que garante a fragrância dos cosméticos, os principais responsáveis pelos casos de dermatite por produtos de higiene e beleza.

O paciente que tem alergia a algum cosmético, geralmente, não apresenta reação alérgica já no primeiro uso. É o contato constante com o produto que causa sintomas como ardência, coceira e bolhas na pele.

Como o corpo já cria uma resposta imunológica ao produto, mesmo se o indivíduo interromper o uso e depois de algum tempo voltar a utilizar, a irritação vai aparecer de novo, só que de forma mais rápida e agressiva.

Não se nasce com intolerância aos cosméticos. A dermatite surge, de repente, em um período da vida, quando o indivíduo já tem uma predisposição em ser alérgico. 

O diagnóstico é mais comum em adultos, especialmente mulheres, por terem maior contato com produtos de higiene e beleza, como tinta de cabelo, perfumes, esmalte e cremes corporais.

Os agentes químicos mais comuns que causam a dermatite por cosméticos são: fenilenodiamina (tintura de cabelos), lanolina  (em xampus, sabões e loções capilares) e linalool  (fragrância de perfumes).

Efeitos colaterais de medicamentos

Todo o medicamento, após a sua ingestão, destaca os reais riscos de efeitos colaterais. A dermatite é uma dessas reações causadas por medicações ingeridas a longo prazo

O paciente pode manifestar a dermatite, como efeito secundário da medicação, tendo ou não predisposição à dermatite. 

Caso o indivíduo desconfie que o remédio esteja causando irritação na derme, é necessário a procura urgente do médico. A pausa tardia da medicação pode agravar os sintomas alérgicos e evoluir para um quadro de  falta de ar, diarréia, vômito e cólicas intestinais.

Para você saber se a medicação tem a dermatite como um possível efeito colateral leia a bula antes do uso. 

 Ao ingerir um medicamento que lista a dermatite como efeito colateral, se o paciente já teve a doença, as chances do indivíduo ter um novo caso de irritação da derme é alta. Principalmente se a medicação pré escrever a diminuição considerável da oleosidade da pele.

Gostou do post? compartilhe com amigos e familiares! Caso você esteja suspeitando de um desses causadores, procure o dermatologista mais próximo de você e inicie o tratamento com responsabilidade!

Anterior

Qual o melhor estetoscópio Littmann para você?

Obesidade infantil: conheça as causas, riscos e tratamentos

Próximo

Deixe um comentário