Entenda o que é a medicina perioperatória e sua importância
>>>Entenda o que é a medicina perioperatória e sua importância

Entenda o que é a medicina perioperatória e sua importância

Por |2019-09-11T16:12:47+00:0011/09/2019|Formação, Profissionais da Saúde|0 comentários

Quem precisa se submeter a uma cirurgia sabe dos muitos procedimentos realizados desde a indicação até a alta médica. Exames de risco, anestesia e cuidado pós-operatórios são apenas alguns dos que compõem a chamada medicina perioperatória.

Não é à toa que essa área médica vem ganhando destaque, principalmente por estar intimamente ligada à parte de anestesia. Então, quer entender melhor esse importante conceito da medicina? Nós o explicamos para você: basta continuar lendo!

Conheça o conceito de medicina perioperatória

O termo perioperatório é usado na medicina para definir todo o período desde o momento em que o médico faz a indicação cirúrgica até o paciente poder retornar às suas atividades habituais. Isso abrange todos os exames pré-operatórios, risco cirúrgico, anestesia, a cirurgia em si e os cuidados pós-operatórios.

A partir disso, é criado um protocolo que torna possível para os profissionais envolvidos acompanhar as etapas do processo e avaliar os riscos de maneira mais adequada, reduzindo a chance de complicações e aumentando a sua eficiência na hora de agir.

Entenda a importância desse conceito na medicina

Embora não seja muito comentada fora da área de saúde, a medicina perioperatória ganha cada vez mais importância. Isso porque, quando os profissionais conseguem analisar riscos de maneira mais eficiente — associando isso aos grandes avanços na área médica — é possível viabilizar cirurgias que, até pouco tempo, seriam impossíveis.

Além dos benefícios para os pacientes, economicamente, esse conjunto de práticas movimenta uma grande fatia da economia dos hospitais. Afinal, quando um paciente recebe uma indicação de cirurgia, ele logo passará por diversos setores em pouco tempo. Sem mencionar que todo esse processo é acompanhado pelo anestesista, para que se possa determinar a melhor prática para aquele paciente.

Com isso, em paralelo ao risco cirúrgico, o médico é capaz de fazer o risco da anestesia, reduzindo consideravelmente a possibilidade de reações negativas durante o procedimento e fornecendo as condições adequadas para a atuação do cirurgião.

Saiba por que estudar medicina perioperatória

Compreender a complexidade da medicina perioperatória impacta diretamente o funcionamento de um hospital e a credibilidade dos seus profissionais. Isso porque, em primeiro lugar, trata-se de um ato de gestão.

É importante começar a responder perguntas referentes ao tempo de limpeza e à preparação do centro cirúrgico, por exemplo — se há a realização de checklists para segurança do paciente, qual é o volume de intercorrências e situações adversas.

Além dessas, muitas outras questões podem orientar os profissionais a começar a otimizar seus processos, ganhando tempo e qualidade.

Outro fator se refere efetivamente à promoção de saúde e bem-estar. Por isso, aliás, avaliar a eficiência e eficácia dos métodos é tão relevante. A ideia não é manter o paciente adoecido para ganhar mais, mas sim entregar um serviço de qualidade para evitar custos com a correção de danos que poderiam ter sido evitados.

Essa prática melhora, ainda, a imagem da entidade e dos profissionais envolvidos, agregando valor à unidade hospitalar. Com isso, o paciente entra no centro cirúrgico sentindo-se confiante e plenamente confortável quanto à atuação da equipe.

Por tudo isso, fica claro como é importante valorizar a medicina perioperatória, não? Trata-se de uma área extremamente dinâmica e rentável — que, quando bem aplicada, é capaz de promover a saúde do paciente, reduzindo riscos durante o procedimento e complicações no pós-operatório. É, simultaneamente, um ato de gestão e de profissionalismo!

E você, já conhecia esse conceito? Se gostou da leitura, aproveite para seguir nossas redes sociais para ter acesso a mais conteúdos como este! Estamos no Facebook, no Instagram e no Twitter.

Deixe seu comentário