A luz infravermelha não é uma novidade na vida da maioria das pessoas. Afinal, ela começou a ser usada na década de 1950, com a invenção do controle remoto. Recentemente, no entanto, esse tipo de radiação passou também a ser mais usado na área da saúde, como em termômetros e massageadores.

Assim sendo, esses usos na área da saúde passaram a abranger tratamentos com luz infravermelha para rejuvenescer a pele, para tratar tendinites, estimular a circulação sanguínea, aliviar a dor e outros. Além disso, os benefícios do uso das lâmpadas infravermelhas são muitos e estão sendo aprimorados, assim como os possíveis malefícios do seu uso. Tendo isso em vista, conheça mais sobre as propriedades e os usos da luz infravermelha

O que é a luz infravermelha?

A luz infravermelha estimula o fluxo sanguíneo. Por isso, ajuda no tratamento de doenças como tendinite, artrose, artrite, bursite, entre outros. Ademais, os raios infravermelhos são emitidos em baixa frequência, abaixo do que o olho humano pode enxergar.

Benefícios da luz infravermelha 

  • Alivia a dor;
  • diminui a rigidez, relaxando o músculo;
  • facilita o movimento das articulações;
  • regenera o tecido;
  • retarda o envelhecimento da pele;
  • estimula o sistema imunológico;
  • aumenta a circulação sanguínea;
  • diminui a fadiga.

Fontes de infravermelho

Existem dois tipos de infravermelho: a luz do sol e as lâmpadas, que atuam de forma diferente em cada pessoa. Assim, o nível de absorção e de calor dependem da pigmentação da pele, vascularidade do tecido, potência da lâmpada e duração do tratamento.

Massageadores com infravermelho

Dessa forma, nos massageadores elétricos, a luz infravermelha atua como complemento no tratamento de dores e lesões musculares. Enquanto o massageador atua no relaxamento muscular, a luz infravermelha contribui com sua capacidade de facilitar o fluxo sanguíneo. Isso agiliza a recuperação dos pacientes que precisam de fisioterapia.

Termômetro com infravermelho

Além do tratamento, a radiação infravermelha também está presente no diagnóstico. Os termômetros com infravermelho — que também são conhecido como termômetro de testa ou termômetro sem contato — são capazes de aferir a temperatura corporal em poucos segundos sem precisar entrar em contato com a pele.

Os principais efeitos desse tipo de tratamento: 

  • Aquecimento local do tecido; 
  • alteração no comportamento metabólico;
  • alteração no comportamento circulatório na atividade celular.

Quais são os cuidados no uso

  • Evitar a exposição dos olhos;
  • manter uma distância em média de 50 à 55 cm;
  • o calor da lâmpada deve ser dosado conforme a sensibilidade do paciente;
  • a distância e a temperatura no local vai depender da natureza da lesão;
  • a pele deve estar sempre limpa e bem seca.

Quais são os riscos?

Um médico deve ser consultado para diminuir chances de risco. Não é comum sentir dor, mas é possível que ocorram queimaduras caso não seja utilizado da forma correta. Quando exposto à luz infravermelha, o órgão genital masculino pode reduzir temporariamente a quantidade de esperma. Em bebês podem aparecer sintomas de apneia e os idosos podem apresentar desidratação e pressão baixa.

Não são indicados

  • Pessoas com sensibilidade térmica;
  • pessoas com doenças cardiológicas crônicas;
  • em áreas de circulação comprometida;
  • casos de tecidos desvitalizado;
  • em casos de câncer;
  • em estado febril;
  • pessoas com doenças agudas na pele;
  • pessoas com dificuldade intelectual, pois não conseguiriam se expressar caso ocorra algum problema.