Início>Cuidados com a saúde>Prevenção>Conheça 5 livros sobre Parkinson que os cuidadores precisam ler

Conheça 5 livros sobre Parkinson que os cuidadores precisam ler

Por |2020-03-16T12:04:38-03:0029/05/2019|Cuidados com a saúde, Prevenção|0 Comentários

O Parkinson é a segunda doença neurodegenerativa mais causadora das desordens de movimento, atacando o sistema nervoso central. Uma das melhores maneiras de os cuidadores saberem como tratar as pessoas acometidas pela enfermidade é por meio da leitura de livros.

Hoje, a literatura sobre o assunto é muito extensa e ajuda os cuidadores a agirem de forma aplicada. Cuidar significa ter carinho, atenção, responsabilidade, precaução, cautela e deve ir além do corpo físico. É necessário levar em conta a história de vida, as questões emocionais e os sentimentos da pessoa.

Para isso, nada melhor que uma boa leitura sobre o Parkinson, mas antes de indicar os 5 principais livros sobre Parkinson que você precisa ler, vamos falar um pouco mais sobre a doença.

O que é a doença de Parkinson?

Como citamos anteriormente, a doença de Parkinson é uma doença degenerativa que atinge algumas células do sistema nervoso central. As causas do distúrbio ainda não são completamente conhecidas. Entretanto, é possível que fatores genéticos e ambientais contribuam para elevar o risco de desenvolver a patologia, como a idade, o gênero, a hereditariedade e a exposição a toxinas.

A doença está associada ao envelhecimento, já que é uma das doenças mais comuns em idosos. Os homens apresentam maior tendência a desenvolver a doença de Parkinson e ter parentes com esse distúrbio é um grande fator de risco. Enquanto à exposição a toxinas, o contato prolongado com pesticidas eleva a chance de desenvolver o Parkinson.

Quais são os sintomas de Parkinson?

Essa doença é caracterizada pela morte dos neurônios produtores de dopamina. Com isso, há menor produção e liberação desse neurotransmissor, acarretando uma série de sintomas que são característicos da doença. As manifestações da doença de Parkinson evoluem com o tempo e podem afetar apenas um ou ambos os lados do corpo.

Veja alguns sinais da doença:

Tremor

Esse é o sintoma mais conhecido, mas não afeta todos os indivíduos acometidos. Normalmente, as contrações musculares involuntárias são intermitentes e podem ser agravadas em situações de estresse ou ansiedade.

Bradicinesia

A lentidão dos movimentos é o sintoma mais importante da doença, uma vez que atinge 100% dos pacientes com Parkinson. Há redução na capacidade de movimentação, e as atividades cotidianas se tornam difíceis e demoradas. Abotoar roupas, por exemplo, pode se tornar uma tarefa impossível.

Rigidez muscular

Na doença de Parkinson, é bastante comum que alguns músculos percam a capacidade de se esticar. Se o problema atingir o tronco, o paciente fica encurvado e com problemas posturais. Conforme a doença avança, os membros superiores e inferiores permanecem dobrados, e os passos se tornam arrastados, dificultando a caminhada.

Congelamento

O bloqueio de movimentos pode acontecer enquanto o portador da doença anda, fala ou escreve. Além disso, pode ocorrer dificuldade de iniciar os movimentos, gerando hesitação ao começar ou alterar a direção de uma caminhada.

Transtornos psicológicos

Além dos sintomas motores, diversas alterações psicológicas podem ser observadas no paciente com Parkinson. Entre elas, podemos destacar a ansiedade, a depressão e a insônia. Em alguns casos, há também o desenvolvimento de demência.

Como a doença é tratada?

O diagnóstico da doença é feito com base na sintomatologia e em exames de imagem para descartar outros distúrbios neurológicos. A doença não tem cura, mas há maneiras de retardar a progressão do distúrbio.

O tratamento inicial é feito com drogas que visam compensar a perda contínua da dopamina. Quando a limitação funcional já está avançada, a fisioterapia e a terapia ocupacional ajudam a preservar as habilidades motoras. Nesse sentido, a prática de atividades físicas também auxilia na preservação dos movimentos. Um dos livros sobre Parkinson citados a seguir fala sobre isso.

Para que o tratamento forneça o melhor resultado possível, é necessário que ele seja iniciado ainda nos primeiros estágios da doença. Assim, é essencial conhecer os sintomas de Parkinson e buscar ajuda médica ao menor sinal. Com bom acompanhamento e algumas mudanças no estilo de vida, a convivência com o problema se torna mais fácil.

Conheça agora os 5 principais livros sobre Parkinson

1. Conhecendo Melhor a Doença de Parkinson

Esse livro, organizado por, João Carlos Papaterra Limongi, apresenta assuntos especializados por meio de textos simples, atraentes e dirigidos ao leitor que precisa de informações além daquelas recebidas no consultório médico.

Os autores esclarecem as mudanças que a doença causa, auxiliando tanto o cuidador quanto o portador da enfermidade. O livro também apresenta informações sobre o problema, expõe exemplos de exercícios físicos e esclarece sobre a alimentação adequada.

2. Doença de Parkinson: manual prático

Apesar de ainda não existir uma cura, a ciência está cada vez mais perto de disponibilizar aos enfermos tratamentos que adiem ou, pelo menos, parem a progressão da doença.

O livro, de coordenação de Joaquim Ferreira, foi escrito por diversos profissionais da saúde envolvidos na investigação e no tratamento da doença em parceria com a Sociedade Portuguesa das Doenças do Movimento. Eles apresentam os dados obtidos pelo progresso da investigação na área. A obra pode ser consultada sempre que necessário.

3. Doença de Parkinson: um guia prático para pacientes e familiares

Com uma linguagem coloquial e estilo resumido, esse livro apresenta as principais informações sobre a doença de Parkinson. Para isso, enfatiza questões de tratamento clínico, geral e por neurocirurgia, além de medicamentos que devem ser evitados pelos pacientes. Orientações gerais de fonoterapia, musicoterapia, terapia ocupacional, de enfermagem, nutrição, serviço social e psicologia.

A obra, de Helio Afonso Ghizoni Teive, também apresenta orientações médicas gerais, como os problemas relacionados às questões sexuais dos pacientes com Parkinson, por exemplo.

4. Parkinson: o que fazer quando o diagnóstico chega

A obra tem o objetivo de apoiar e informar o cuidador e a família do paciente. O grande diferencial do livro está na sua forma de apresentar e comentar um pouco sobre a vida de pessoas que foram diagnosticadas com a doença de Parkinson.

As abordagens são baseadas nas observações críticas do autor, Marcos Carvalho Fonseca. Ele aborda sobre como funcionam os locais de prestação de serviços de saúde, de pessoas que apresentam a doença e do trabalho voluntário que realiza junto ao Grupo de Estudos na Doença de Parkinson.

5. Doença de Parkinson e exercício físico

Escrito por pesquisadores da Universidade Estadual Paulista (UNESP) e pelos membros do Programa de Atividade Física para Pacientes com Doença de Parkinson (PROPARKI), o conteúdo aborda desde a fisiopatologia e os sintomas de Parkinson até as principais evidências científicas sobre as vantagens dos exercícios físicos sobre aspectos motores e não motores de pacientes.

Também são expostas as alterações neurais causadas pelas atividades físicas e as características referentes à adaptação aos exercícios. Nos anexos, você encontrará todas as informações sobre as sessões que compõem as duas etapas do PROPARKI.

Os organizadores do livro são Lilian Teresa Bucken Gobbi, Fabio Augusto barbieri e Rodrigo Vitório.

Vá além dos livros sobre Parkinson

Além de ler livros sobre Parkinson, é essencial que o cuidador tenha alguns cuidados com esse paciente. Entre eles estão o incentivo à prática de exercícios físicos em casa, a orientação e o apoio durante as atividades do dia a dia e o estímulo ao consumo de líquidos e alimentos saudáveis. Tudo isso para melhorar a mobilidade, a eliminação intestinal e a deglutição e nutrição do enfermo.

Gostou dessas dicas? Então não deixe de curtir a nossa página no Facebook e fique por dentro de outros assuntos sobre saúde e bem-estar!

Deixar Um Comentário