Lesão por Esforço Repetitivo (L.E.R): saiba o que é e como prevenir

| |

A lesão por esforço repetitivo (LER) é tão comum que a OMS estabeleceu o dia 28 de fevereiro como data dedicada a sua prevenção. Nesse sentido, era comum relacionar as lesões somente ao trabalho, mas hoje o uso excessivo do celular também pode contribuir para este quadro.

Em uma pesquisa feita pelo IBGE, somente no Brasil existem mais de 3 milhões de casos de LER/DORT. Logo, essas lesões ou distúrbios fazem parte dos principais motivos de afastamento do trabalho. Além disso, eles também podem ser capazes de incapacitar uma pessoa por um longo período de tempo.

Portanto, além de prejudicar a saúde e bem estar individual da pessoa afetada,  a LER também pode impactar o coletivo, ou seja, quanto maior for o número de casos por essas lesões, maior é o impacto para economia.

Qual a diferença entre LER e DORT?

Apesar de estarmos falando de LER é comum que a sigla DORT também apareça acompanhada desse termo, mas afinal, elas se tratam de uma mesma coisa?

Primeiramente, a Lesão por Esforço Repetitivo ou LER foi criado a fim de estabelecer um grupo de doenças relacionadas ao trabalho, ou seja, a LER não é uma doença, mas sim uma forma de agrupar diversos tipos de lesões relacionados aos músculos e ossos.

Apesar disso, com um tempo essa prática se tornou um problema, isso porque as doenças não eram classificas dentro da LER e sim como LER, o que não pode ocorrer, uma vez que ela não é uma doença, mas sim um grupo para classificar lesões por esforço repetitivo.

Como solução para essa prática o termo DORT, que significa Distúrbios Osteomusculares Relacionados ao Trabalho, surgiu para substituir a sigla LER.

Hoje, o termo LER é ou não relacionado ao trabalho, enquanto a sigla DORT diz respeito somente a distúrbios desenvolvidos durante as atividades realizadas no trabalho.

O que pode causar uma Lesão por Esforço Repetitivo?

Antes de tudo, como o nome mesmo diz, a causa da lesão se da em ocorrência ao número de vezes que uma pessoa exerce uma determinada atividade. Nesse sentido, também vale ressaltar que LER não é uma doença, mas sim uma forma de classifica-las.

Logo, a causa de uma lesão pode ser devido a vibrações, compressões ou movimentos feitos em uma única parte do corpo e de forma repetitiva, como exemplo: digitar, tocar piano, dirigir, fazer crochê, entre muitas outras atividades.

Essas são atividades comuns, mas à forma incorreta de pratica-las é capaz de formar um distúrbio ou lesão, ou seja, com falta de pausas adequadas ou  por manter uma postura incorreta, por exemplo.

Como prevenir a LER/DORT?

Em alguns casos, as atividades podem exigir além da capacidade individual de uma pessoa. Portanto, apesar de existir situações diferentes, de uma forma geral podem ser tomar algumas medidas para prevenir lesões ou distúrbios como:

Determine pausas

A cada quantidade de horas ou minutos em uma determinada função, dê uma pausa.  Esse intervalo não precisa durar muito, mas durante esse tempo faça movimentos contrários a sua atividade.

Beba água

Mantenha sempre por perto um copo ou garrafa de água e hidrate-se durante o dia. Portanto, beber água regularmente ajuda desde o bom funcionamento do corpo e influencia até na parte estética, uma vez que a ingestão de água contribui para uma boa aparência da pele.

Mantenha a postura

É comum em muitas atividades que uma pessoa fique muitas horas em uma mesma posição. Logo, para evitar problemas na saúde é preciso manter os ombros relaxados, costas retas e os pés apoiados no chão. Porém, se sua atividade exige que fique sentado por muito tempo o ideal e ter um apoio para os pés.

Faça exercícios ou movimente-se

Nesse caso, os exercícios e movimentos devem ser feitos em função das atividades exercidas, mas em todo caso é válido alongar pernas, braços e fazer movimentos circulares com os pés e mãos, por exemplo.

Quais são as lesões ou distúrbios classificados como LER/DORT?

Não necessariamente toda dor sentida durante o trabalho é classificada como LER/DORT. Portanto, sempre se faz necessário consultar um médico para investigar a origem daquele incomodo.

Porém, quando existe alguma alteração osteomuscular capaz de atingir a região do corpo utilizada com mais frequência no trabalho, como as articulações, tendões, nervos e músculos é provável que esse seja o caso de LER/DORT.

Dentre as doenças mais comuns classificadas como LER/DORT estão: tendinite, bursite, dedo de gatilho, entre outras. Nesse sentido, essas alterações provocam dor e podem comprometer o bom funcionamento do local afetado.

Quais são os direitos dos trabalhadores com doenças classificadas como LER/DORT?

Alguns casos de lesões e distúrbios osteomusculares, quando tratados no início costumas apresentar bons índices de melhor. Porém, muitas vezes a rotina de trabalho e compromisso fazem com que as pessoas deixem a saúde um pouco de lado.

Nesse sentido, o trabalhador diagnosticado com LER/DORT e que esteja impossibilitado de exercer suas atividades pode solicitar benefícios de assistência, são eles:

  • auxílio doença;
  • auxílio acidente;
  • aposentadoria ou seguro por invalidez;
  • isenção do imposto de renda, entre outros.

Esse artigo te ajudou? Conte aqui nos comentários!

Mas se você quer ter acesso a mais conteúdos como esse visite a página inicial do blog Maconequi clicando aqui.

Anterior

Diferença entre CTI e UTI: descubra de uma vez por todas

Parto humanizado: saiba como acontece esse momento para a pessoa gestante

Próximo

Deixe um comentário