O que acontece na incontinência urinária feminina?
>>>O que acontece na incontinência urinária feminina?

O que acontece na incontinência urinária feminina?

Por |2020-02-13T09:58:18+00:0014/02/2020|Cuidados com a saúde, Qualidade de Vida|0 comentários

Segundo a Urology Care Foundation, a incontinência urinária feminina atinge cerca de um terço das mulheres com 60 anos e metade das mulheres com 65 anos ou mais. Quem sofre desse problema costuma passar por grandes constrangimentos para contar o que está acontecendo, mas apesar do constrangimento, é preciso tomar coragem e buscar a ajuda de um médico pois a incontinência urinária tem tratamento.

O que acontece na incontinência urinária em mulheres?

É considerada incontinência urinária qualquer perda involuntária de urina, desde gotas até quantidades suficientes para molhar a roupa. Isso acontece devido a uma falha na coordenação entre a bexiga e o esfíncter uretral, que é a válvula que controla saída da urina, causado pelo enfraquecimento do assoalho pélvico.

A gravidez, o parto e a menopausa contribuem para o desenvolvimento da incontinência urinária feminina. Isso acontece porque durante a gravidez há algumas alterações hormonais, e a bexiga sofre uma pressão exercida pelo útero. A força feita durante o parto também pode enfraquecer a eficiência dos músculos pélvicos. Já na menopausa, a ausência de hormônios provoca uma diminuição na espessura das paredes da uretra, diminuindo a capacidade de controlar o esfíncter.

Algumas doenças como a infecção urinária e vaginal, efeitos colaterais de medicamentos e constipação intestinal também contribuem para o quadro de incontinência urinária. Nesse caso, a IU é transitória, ou seja, depois do tratamento dessas doenças ou troca de medicamentos, a incontinência urinária acaba.

Outras doenças como a bexiga hiperativa, fraqueza dos músculos que sustentam a bexiga, fraqueza do músculo esfincteriano que envolve a uretra, defeitos de nascimento, doenças e lesões da medula, cirurgias sobre os órgãos pélvicos e doenças que afetam os nervos ou músculos, podem causar uma IU mais duradoura ou permanente.

Quais são os tipos de incontinência urinária feminina?

Nas mulheres, a incontinência urinária pode ser de esforço, urge-incontinência, mista, por transbordamento, funcional, noctúria, por fístula urinária ou após cirurgias pélvicas e ginecológicas. Vamos falar um pouco sobre cada uma delas.

  • Incontinência urinária por esforço

    Ocorre quando há vazamento de urina durante qualquer atividade que force o abdômen, como tossir, espirrar, dar risada e pegar peso. Esse tipo de IU acontece frequentemente em mulheres com fraqueza dos músculos do assoalho pélvico e pode haver prolapso da bexiga, útero ou intestino (“bexiga caída”). É mais frequente em mulheres que tiveram partos normais, mas pode acontecer também com mulheres que tiveram cesariana ou que nunca tiveram filhos.

  • Urge-incontinência (bexiga hiperativa)

    É quando a bexiga se contrai sem a sua vontade, dando a sensação de que precisa ir ao banheiro com urgência, mas geralmente não consegue chegar a tempo de evitar o vazamento da urina. Os nervos que controlam a bexiga ou uma infecção que inflame a superfície interna pode causar esse tipo de incontinência.

  • Incontinência urinária mista

    Acontece quando há uma combinação entre os dois tipos de incontinência citados anteriormente: por esforço e urge-incontinência.

  • Incontinência por transbordamento

    É quando a bexiga fica tão cheia que chega a transbordar. Isso pode acontecer devido ao enfraquecimento do músculo da bexiga ou pela obstrução à saída de urina. Apesar desse tipo ser mais comum nos homens, as mulheres também podem sofrer com esse tipo de incontinência, principalmente se também apresentarem quadros de diabetes, alcoolismo e alguns tipos de distúrbios neurológicos.

  • Incontinência funcional

    Ocorre quando a pessoa não consegue chegar ao banheiro ou um local adequado para urinar quando precisa.

  • Noctúria (enurese noturna)

    É a incontinência urinária que ocorre durante o sono. O famoso “xixi na cama”, mais comum em crianças, mas que pode ocorrer em qualquer idade.

  • Incontinência por fístula urinária

    A fístula urinária é uma comunicação irregular entre um órgão do trato urinário e, geralmente, a vagina. Muitas das vezes isso acontece como resultado de um procedimento cirúrgico prévio, processos inflamatórios, traumatismos ou irradiação. Esse tipo de incontinência geralmente é persistente e muito severo, pois a paciente permanece com gotejamento contínuo de urina.

  • Incontinência após cirurgias pélvicas e ginecológicas

    Como o nome mesmo já diz, esse tipo de IU pode acontecer após cirurgias que podem afetar a integridade dos nervos que vão para a bexiga ou do esfíncter uretral.

Quais são os tratamentos recomendados para as mulheres?

O tratamento vai depender do tipo de incontinência urinária que a paciente apresenta, por isso é de extrema importância a visita a um médico. Mas algumas recomendações são:

  • Ir ao banheiro com certa frequência, mesmo que não esteja com vontade de urinar, só para manter a bexiga sempre vazia;
  • Evitar o consumo de alimentos diuréticos;
  • Trocar os medicamentos que contribuem para a IU;
  • Ir ao banheiro logo depois de tomar qualquer líquido;
  • Em casos mais graves requer procedimentos cirúrgicos.

Quer saber mais sobre o assunto? Confira nosso post com mais detalhes sobre incontinência urinária! Boa leitura!

Deixe seu comentário