Hipertensão em idosos: o que você precisa saber
>, Prevenção, Produtos para Saúde, Qualidade de Vida>Hipertensão em idosos: o que você precisa saber

Hipertensão em idosos: o que você precisa saber

A hipertensão em idosos é um problema comum. Ela acontece em torno de 60 a 85% dos idosos com idade acima de 65 anos e acarreta na diminuição da sobrevida. Por isso, nada melhor do que saber mais sobre a hipertensão em idosos: sintomas, como evitar, tratamentos, etc. Confira e boa leitura!

O que é hipertensão?

A hipertensão arterial, ou pressão alta, é uma doença crônica que se caracteriza pelos elevados níveis da pressão sanguínea nas artérias. Ela ocorre quando os valores das pressões máxima e mínima são iguais ou ultrapassam os 140/90 mmHg (ou 14 por 9). Quando isso ocorre, faz com que o coração tenha que exercer um esforço maior do que o normal para fazer com que o sangue seja distribuído corretamente por todo o corpo. 

A pressão alta atinge homens e mulheres de qualquer idade e etnia. Porém, a sua incidência aumenta com a idade. Mais ou menos 50% dos homens e mulheres acima dos 50 anos apresentam hipertensão. Já aos 60 anos, essa porcentagem sobe para 60% e, daí em diante, não para de crescer. A hipertensão em idosos é tão comum que não seria exagero dizer que, após certa idade é praticamente normal ter pressão alta. 

Quais as causas da hipertensão em idosos?

O conhecido médico Drauzio Varella costuma estabelecer uma analogia entre o corpo humano e o sistema hidráulico. Segundo ele, os canos são os vasos sanguíneos; os rins, o ladrão por onde escoa o excesso de líquido; o coração, a bomba que faz circular esse líquido e o cérebro, o computador que comanda tudo isso. Porém, com o passar dos anos, assim como resíduos aderem aos canos, depósitos de substâncias como cálcio se acumulam nos vasos sanguíneos e vão fazendo com que esses fiquem enrijecidos e aumente a pressão do sangue no interior.  

Outro fator que leva ao aumento da pressão arterial nos idosos é o funcionamento dos rins. Esses órgãos, diante de qualquer motivo que leve menos sangue até eles, passam a liberar substâncias que acabam retendo mais sal e água, o que colabora com o aumento da pressão. E assim, entramos em um ciclo vicioso. 

Já quando falamos das mulheres, a partir da menopausa, elas estão mais sujeitas a doenças cardiovasculares de modo geral e, mais especificamente, à hipertensão. Isso acontece porque a baixa liberação de estrógeno interfere negativamente no endotélio, órgão responsável pela dilatação e redução dos vasos sanguíneos. 

Sintomas e diagnóstico da hipertensão em idosos

A hipertensão nem sempre apresenta sintomas como dor de cabeça, tontura, zumbido no ouvido, sangramento nasal, etc.  Dessa forma, a grande maioria dos idosos só descobre a hipertensão em consultas de rotina, quando se mede a pressão e ela se apresenta muito alta. 

No entanto, é raro a hipertensão em idosos aparecer de uma hora para outra. Em geral, a pressão arterial começa a aumentar aos poucos, em torno dos 40 ou 50 anos, mas o problema só é diagnosticado mais tarde. Assim, os sintomas não aparecem porque, de certa forma, o organismo vai se acostumando com o gradual aumento da pressão. 

As complicações da hipertensão

A pressão alta pode trazer complicações ao funcionamento do coração, cérebro e rins. Idosos com hipertensão, mesmo sem nenhum sintoma, podem ter derrame cerebral, infarto, insuficiência renal e cardíaca e comprometimento dos vasos sanguíneos periféricos.

Segundo estudos, de 60% a 65% dos idosos que têm infarto são hipertensos, e 70% dos idosos que sofrem derrame também. 

A prevenção e controle da hipertensão

Além dos medicamentos disponíveis atualmente, é imprescindível que os idosos que apresentem aumento da pressão arterial, adotem um estilo de vida saudável que, dentre outras coisas, significa: 

  • manter o peso adequado;
  • reduzir o consumo de sal; 
  • praticar atividade física regular;
  • aproveitar momentos de lazer e levar uma vida mais leve e despreocupada;
  • parar de fumar;
  • moderar o consumo de álcool;
  • evitar alimentos gordurosos;
  • controlar o diabetes;
  • visitar o médico regularmente; e
  • verificar a pressão arterial com frequência.

Gostou de saber um pouco mais sobre a hipertensão em idosos? Agora, para se aprofundar ainda mais no universo da saúde, que tal conferir também nosso artigo sobre alimentos essenciais para controlar a sua pressão?

Deixe seu comentário