Hipertensão e atividade física: veja como os exercícios podem ajudar
>, Prevenção, Qualidade de Vida>Hipertensão e atividade física: veja como os exercícios podem ajudar

Hipertensão e atividade física: veja como os exercícios podem ajudar

Quando falamos de controle da pressão arterial, logo pensamos em recomendações relacionadas à uma alimentação saudável como evitar o sal e a gordura. Mas hoje vamos falar de outro assunto: hipertensão e atividade física, e sobre como os exercícios podem ser ótimo aliado da sua pressão..

Os exercícios físicos, prescritos por um médico e praticados de forma correta, também são fundamentais para a prevenção e o tratamento da hipertensão, pois eliminam alguns dos principais fatores de risco da doença como o excesso de peso, a obesidade e o sedentarismo.

Porém, antes de começar a se exercitar, quem é hipertenso deve ficar atento à algumas restrições relacionadas às atividades físicas, principalmente envolvendo intensidade, frequência e duração das atividades. Isso porque alguns exercícios elevam naturalmente a pressão arterial durante a prática.

Benefícios das atividades físicas para o controle da pressão arterial

Segundo a Sociedade Brasileira de Cardiologia, para manter uma boa saúde cardiovascular e garantir uma melhor qualidade de vida, todo adulto deve realizar exercícios físicos durante 30 minutos, corridos ou com intervalos, pelo menos 5 vezes na semana. Os exercícios ajudam a regular o sistema nervoso simpático, que é responsável pelo ritmo da respiração, abertura da pupila e pela pressão arterial, além de diminuir a força e o número de batimentos cardíacos.

Os exercícios também melhoram o endotélio, que é a camada que reveste as artérias. Isso deixa os vasos sanguíneos periféricos mais dilatados graças à substância chamada óxido nítrico, produzida pelo endotélio, que tem a função de relaxar os tubos e facilitar a passagem do sangue.

Tudo isso diminui o risco de complicações e agravamentos de doenças cardiovasculares, como AVC, infarto e obstrução das artérias.

Hipertensão e atividades físicas: veja nossas sugestões

Os exercícios mais indicados são os aeróbicos (isotônicos) por ajudar no tratamento e prevenção de doenças que afetam o coração e os vasos sanguíneos. Alguns exemplos desse tipo de exercícios são: caminhada, corrida, natação e ciclismo. Os exercícios aeróbicos também podem ser feitos em casa, lembrando sempre de não exagerar na intensidade.

O que também deve ser avaliado é a frequência e a duração dos exercícios escolhidos. Quem tem nível leve ou moderado de hipertensão e não tem lesões nos órgãos-alvo (artérias, olhos, rins, coração e cérebro) pode participar de esportes com uma intensidade maior e até competitivos. Já quem tem nível grave e lesões nos órgãos-alvo devem praticar exercícios leves, jamais os competitivos.

Normalmente, são indicados exercícios de intensidade leve ou moderada com uma frequência de três a cinco sessões por semana com duração de 20 a 30 minutos, mas tudo isso depende do paciente, dos medicamentos que ele toma e do tipo de exercício prescrito.

Cuidados que devem ser tomados antes de começar a se exercitar

  • Evitar exercícios que precisam realizar a Manobra de Valsalva (segurar o ar durante a realização de um exercício), pois esse ato possibilita o aumento da pressão arterial.
  • ​Não fazer exercícios em jejum. O ideal é fazer uma refeição 40 minutos antes de começar os exercícios.
  • Usar roupas adequadas para evitar lesões.
  • Hidrate-se antes, durante e depois dos exercícios.
  • ​Ficar atento ao surgimento de qualquer sintoma durante e após a prática.
  • Alongar-se sempre antes e após a atividade.
  • Medir a pressão algumas vezes ao longo do treino para checar se está tudo bem.

Entenda um pouco mais sobre os órgãos-alvo

Órgãos-alvo é um termo muito usado na área médica para se referir aos órgãos que mais sofrem com a hipertensão descontrolada. São eles: cérebro, artérias, rins, coração e olhos.

Os hipertensos que se cuidam desde o momento do diagnóstico, tem menos chances de sofrer danos a esses órgãos. Já aqueles que ignoraram o quadro e demoraram para começar o tratamento, tem grandes chances de sofrer com isso. Por isso, é essencial fazer o controle adequado da pressão arterial.

Veja os principais danos causados.

  • Acidente Vascular Cerebral (AVC)podendo causar sequelas motoras, neurológicas e até emocionais, o AVC atinge os vasos sanguíneos do cérebro, provocando a interrupção sanguínea por meio de entupimento ou rompimento das artérias.  

  • Lesões nas artériasas artérias e as veias se tornam mais resistentes e espessas, diminuindo a elasticidade, devido a obesidade, tabagismo e diabetes, por exemplo, facilitando as lesões.

  • Insuficiência renalcom os vasos sanguíneos danificados pelo quadro de hipertensão, o fluxo do sangue diminui, reduzindo o tamanho e o funcionamento dos rins, o que pode causar insuficiência renal.

  • Insuficiência cardíaca, angina e infartocom a elasticidade das veias e artérias diminuídas, o coração precisa trabalhar mais. Com isso, ele aumenta de tamanho e dificulta a distribuição de oxigênio e nutrientes, contribuindo para um quadro de insuficiência cardíaca, angina e infarto.

  • Glaucomaa obstrução dos vasos que irrigam os olhos faz com que a visão seja reduzida progressivamente, podendo desenvolver um glaucoma e até cegueira.

Como vimos, existe uma relação muito importante entre hipertensão e atividade física. Os exercícios físicos são um grande aliado para manter o controle da pressão arterial. 

É importante ressaltar que antes de começar a se exercitar, é preciso consultar um médico. Ele vai fazer avaliações que vai ajudar na prescrição de uma rotina de exercícios ideal. Lembrando que uma reavaliação deve ser feita a cada três meses ou sempre que necessário.

Deixe seu comentário