Já faz alguns meses que, ao agachar para pegar um objeto no chão ou após carregar uma mochila de peso moderado, você sente uma dor na região lombar ou um desgaste na parte mais baixa da coluna?

Esses são alguns dos sintomas da hérnia de disco, um problema comum que atinge cerca de 80% da população adulta do planeta e aparece especialmente a partir de fatores genéticos, sedentarismo, quedas e carregamento de pesos.

Nos últimos anos, registrou-se o aumento desse problema de saúde entre pessoas mais jovens no país. Hoje, a idade média para o surgimento da hérnia de disco é 30 anos — antigamente, era 37 anos.

Por isso, se você suspeita que está com problemas nessa área e precisa buscar tratamento na região lombar, confira algumas dicas.

Significado

A doença ocorre quando há desgaste nos discos intervertebrais, estruturas em forma de anel, compostas por tecido cartilaginoso e elástico, que evita a fricção entre as vértebras adjacentes e amortece possíveis impactos.

Esse desgaste pode surgir com o passar do tempo ou o uso repetitivo, o que facilita a formação das hérnias de disco, comprimindo as raízes nervosas que emergem da coluna e originando dores intensas.

Estudos radiológicos mostram que, após os 50 anos, ⅓ da população mundial apresenta alguma forma assintomática desse problema.

Causas

Um dos fatores mais importantes para explicar o surgimento da doença é a predisposição genética. A falta de atividades físicas regulares e o hábito do tabagismo também são importantes para explicar esse quadro.

Além disso, carregar muito peso no cotidiano acaba comprometendo a integridade do sistema muscular que sustenta a coluna vertebral.

Outra causa possível é o sofrimento de alguma queda. A hérnia de disco pode evoluir de um leve deslocamento de disco vertebral até um grau mais intenso de rejeição.

Sintomas

Alguns sinais comuns de que você pode estar com uma hérnia de disco são dores que irradiam desde a lombar ou a cervical (porção da coluna situada no pescoço, responsável por sustentar a cabeça) e atingem outros membros (como coxas e braços).

É bastante comum que essa dor seja acompanhada da sensação de dormência ou formigamento, situação em que a sensibilidade da pele sofre uma alteração. Quando há intensificação dos incômodos, a pessoa pode sentir mais dificuldades para realizar movimentos simples, como caminhar ou movimentar os braços e as mãos.

Esses formigamentos são sinais de que há uma compressão neurológica, o que impede que o impulso nervoso chegue completamente às extremidades dos membros. É importante procurar ajuda médica qualificada antes que as dores atinjam esse nível.

Tratamento

Ao buscar profissionais para verificar se você tem hérnia de disco, será preciso relatar os sintomas (intensidade e duração) e realizar alguns exames neurológicos, além de raio-x, tomografia ou ressonância magnética, que ajudam a identificar a localização exata e o tamanho da lesão.

Os tratamentos mais comuns para esse problema são uso de analgésicos e anti-inflamatórios, sessões de fisioterapia e acupuntura, além de maior repouso. Espera-se que 90% dos portadores dessas hérnias (nível leve e moderado) voltem a retomar atividades rotineiras após um mês da realização de tais procedimentos.

Considerando que estamos na era do home office, o uso de cadeiras gamers para um maior conforto ao passar horas trabalhando na frente do computador também pode ser uma boa indicação para aliviar as dores da lesão.

No entanto, há alguns casos mais sérios, em que há uma alteração muito grave na curvatura ou no posicionamento da coluna vertebral após crises provocadas por hérnia. Desse modo, é preciso um diagnóstico médico mais detalhado para considerar os sintomas e o déficit motor, decidindo se há necessidade de cirurgia.

Em geral, a cirurgia só é indicada quando o paciente não responde ao tratamento conservador, e a compressão do nervo é feita pela parte do disco que foi expelida pelo corpo. Se houver a necessidade de processamento cirúrgico, o paciente deve ter ciência de como será a sua recuperação e quais são os riscos da operação.