Como saber o que são as dores nas articulações que eu estou sentindo?

| |

Popularmente, as dores nas articulações também são conhecidas como dor nas juntas. Ao depender da intensidade, o desconforto pode ser tratado em casa com analgésicos comuns e compressas em água morna.

Porém, é necessário ficar atento caso a dor passe a ser rotineira e aguda. Caso o incômodo dure mais de 1 mês e cause qualquer anomalia (como inchaço, deformação ou coloração arroxeada), o paciente deve procurar a emergência do hospital mais próximo.

Nesse post, listamos para você quais as causas mais comuns das dores nas articulações. Para descobrir é só continuar a leitura.

Quais são as principais causas das dores nas articulações?

As principais causas das dores nas juntas podem ser artrite, tendinite, artrose, fibromialgia ou consequência de alguma inflamação causada por dengue, zika e chikungunya. Saiba um pouco mais sobre cada tópico a seguir:

Artrite

A artrite é o enrijecimento das articulações devido a inflamação das juntas. Pode ser causado pela idade, traumatismo, excesso de peso, alimentação ou alteração no sistema imune de indivíduos com predisposição genética para a doença.

Existem diversos tipos de artrite, então somente um médico ortopedista consegue mapear a enfermidade e diagnosticar o tratamento correto. No entanto, em geral são recomendados o uso de medicamentos, fisioterapia, exercícios ou cirurgia.

Os tipos de artrite são:

  • osteoartrite (artrose);
  • artrite reumatoide;
  • artrite séptica;
  • artrite psoriática;
  • artrite gotosa (gota); e 
  • artrite reativa.

Dentre as variações da doença, o tipo mais comum de artrite é a osteoartrite, também conhecida como artrose. De acordo com a Sociedade Brasileira de Reumatologia, a osteoartrite representa cerca de 30% a 40% das visitas a ambulatórios de reumatologia.

No Brasil, a osteoartrite é responsável por 7,5% de todos os afastamentos de trabalho, de acordo com dados da Previdência Social. A osteoartrite tem preferência por mulheres, atingindo mais mãos e joelhos.

Ela é pouco frequente antes dos 40 anos, mas a partir dos 75 anos apresenta evidência clínica e radiográfica, além de dor.

Tendinite

Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), uma a cada 100 pessoas sofre com tendinite. Em geral, no corpo humano existem mais de 4 mil tendões, eles estão desde a cabeça até os pés. Qualquer um deles pode sofrer o enrijecimento provocado pela doença.

As causas são divididas entre mecânicas e química. As causas mecânicas são os esforços prolongados e repetitivos, além da sobrecarga. Já as causas químicas são toxinas presentes no organismo, desidratação muscular, resíduos de alimentações.

A tendinite pode ser facilmente confundida com artrite reumatoide, por isso exames mais detalhados são recomendados. Ortopedista, reumatologista e fisioterapeuta são os profissionais da saúde adequados para tratar da enfermidade.

Os casos mais comuns de tendinite são em partes do corpo como:

  • mão;
  • pulso;
  • ombro;
  • polegar;
  • pé; e
  • joelho.

Se alongar, repousar e evitar movimentos do local afetado, tomar anti-inflamatório, analgésico e acupuntura podem ajudar na recuperação do paciente com tendinite. 

Artrose 

A artrose é a corrosão da cartilagem, principalmente do joelho, devido ao excesso de peso ou predisposição genética. As mãos, o pescoço, a região lombar e os quadris podem também ser afetados pela doença.

O diagnóstico é muito comum, segundo o Ministério da Saúde, a artrose atinge 15 milhões de pessoas só no Brasil e pode afetar principalmente pessoas com idade mais avançada.

A doença não tem cura, mas pode ser adiada ou suavizada através de medicamentos como antiinflamatórios e pílulas de colágenos. No entanto, qualquer medicação deve ser recomendada por um profissional da saúde.

Existe a confusão entre artrite e artrose, porém a diferença é que a artrite significa que a articulação está inflamada, já a artrose, ou osteoartrite, é um tipo de artrite em que a articulação fica desgastada.

Quem tem predisposição precisa evitar o sobrepeso, então uma alimentação balanceada mais a prática de atividades físicas são recomendados.

ATENÇÃO: quanto mais músculos a pessoa tiver, menor serão as chances de desenvolver a artrose.

Fibromialgia 

A fibromialgia é uma síndrome osteomuscular crônica que começa no cérebro e atinge todo o corpo. O paciente tem uma disfunção na hora de interpretar a dor, intensificando o menor incómodo possível.

No Brasil, cerca de 3% da população sofre com fibromialgia. Em geral, o público feminino concentra o maior número de diagnósticos positivos para a doença. A cada 10 portadores, oito são mulheres, conforme aponta a Sociedade Brasileira de Reumatologia.

A dor da fibromialgia é caracterizada por persistir por mais de 3 meses, sem que analgésicos comuns aliviam o desconforto. Os pontos de articulações como joelhos, cotovelos e pescoço são os mais afetados. 

Não existe cura para a síndrome, mas alguns medicamentos aliviam as dores provocadas pela enfermidade. Em geral são: anti-inflamatórios, analgésicos e antidepressivos tricíclicos.

Qualquer medicação deve ser receitada exclusivamente pelo médico que esteja acompanhando o caso do paciente. E além da atividade física de baixo impacto, a hidroterapia e a quiropraxia são recomendados como alternativas para o tratamento da fibromialgia. 

Consequência da infecção por dengue, zika e chikungunya

As dores nas articulações são uma das consequências provocadas pela infecção por Dengue, Zika e Chikungunya. O incômodo pode acontecer durante as doenças, ou como sintoma pós contagioso.

Quando o tema é dores articulares por infecção, o diagnóstico positivo para Chikungunya é o mais preocupante. 90% dos pacientes com a doença sentem dores articulares e esse desconforto pode durar anos, segundo médicos infectologistas. 

A maneira correta de seguir o tratamento é através do acompanhamento de médicos reumatologistas. Antes, é preciso descobrir quais das infecções o paciente teve ou têm, e a partir daí traçar um mapeamento para a melhora.

Mais sobre diagnósticos e tratamentos

Como você pode ter percebido até aqui, as dores articulares são sintomas comuns para diversos diagnósticos. As chances do paciente acertar o diagnóstico, sem orientação profissional, são baixas.

Dessa maneira, ao sentir dores nas articulações persistentes, crônicas, intensas e prolongadas, procure a ajuda médica mais próxima de você. O profissional de saúde vai te ajudar a traçar o mapeamento correto do incômodo, além de recomendar o tratamento mais eficaz.

Não tome medicamentos sem orientação especializada, e não adie sua consulta para não prejudicar seu quadro de dor.

Gostou desse post? Compartilhe nas redes sociais com seus amigos e familiares!

Anterior

Fibromialgia: saiba o que é e quais são os sintomas dessa doença

II Congresso Nacional LACLIMED ajuda alunos de medicina a descobrir qual especialização seguir

Próximo

Deixe um comentário