Início>Cuidados com a saúde>Prevenção>Doenças infantis: saiba mais sobre as doenças e como tratá-las

Doenças infantis: saiba mais sobre as doenças e como tratá-las

Por |2019-12-23T13:40:11-03:0023/07/2018|Cuidados com a saúde, Prevenção|0 Comentários

O outono e o inverno costumam preocupar (e muito) os pais. Isso porque a combinação de tempo seco e temperaturas baixas é, como diz o ditado, um prato cheio para fragilizar a saúde das crianças, que têm o sistema imunológico menos desenvolvido do que o dos adultos. Para completar, ambas as estações ocorrem majoritariamente no período escolar, o que contribui para espalhar e aumentar o número de doenças infantis.

Por esse motivo, elaboramos este post para falar sobre algumas das enfermidades mais comuns nesses meses do ano, como identificá-las e, acima de tudo, tratá-las para que não diminuam o bem-estar nem a qualidade de vida dos pequenos. Confira!

Asma

A primeira das doenças infantis da nossa lista é a asma, que é uma inflamação nas vias aéreas causada por diversos fatores, como agentes alérgenos (pelos, poeira, mofo etc.), mudanças climáticas bruscas ou atividades físicas. Entre os principais indícios de que o seu filho tem essa condição, podemos citar:

  • tosse seca constante;
  • respiração bucal;
  • falta de ar súbita.

O tratamento de asma não visa o fim da doença, visto que não tem cura, mas sim a redução dos sintomas. Por essa razão, é essencial evitar a exposição ao gatilho que provoca as crises asmáticas e usar um inalador diariamente.

Otite

A otite, por sua vez, é uma infecção que atinge o ouvido e, embora não seja transmissível, afeta com muito mais frequência as crianças justamente pelo fato de elas terem a tuba auditiva menor. Quem a contrai manifesta os seguintes sintomas:

  • febre;
  • dor de ouvido;
  • redução temporária da audição;
  • sensação de zumbido ou ouvido tampado;
  • dificuldade para adormecer e manter a concentração.

Para tratá-la, o otorrino pode indicar o uso de antibióticos e/ou analgésicos auriculares por até uma semana.

Pneumonia

A pneumonia é uma infecção contraída pelo contato com as bactérias transmissoras, estejam elas no ar ou na secreção de outras pessoas. É por isso que quando o seu filho está gripado ou resfriado, algo que é comum no outono e no inverno, ele se torna muito mais suscetível a desenvolvê-la. Os principais sinais dela são:

  • tosse seca;
  • febre;
  • calafrios;
  • falta de ar;
  • sudorese intensa;
  • produção de muco;
  • perda de peso;
  • enjoos e náuseas;
  • perda de apetite;
  • dores por todo o corpo.

O tratamento ocorre com uso de antibióticos. Contudo, em casos acentuados de desnutrição e/ou desidratação, é possível que haja a indicação de internação hospitalar.

Sarampo

Outra das doenças infantis que preocupa os pais e afeta gravemente a saúde dos pequenos é o sarampo. Afinal, além de ser facilmente contraído (seja pelo contato com a pele ou por meio da fala, por exemplo), ele é uma infecção severa que pode, em casos mais graves, levar a óbito. Os sintomas mais comuns são:

  • febre;
  • enjoos;
  • tosse seca;
  • inchaço nos olhos;
  • disenteria;
  • manchas vermelhas pelo corpo;
  • coceira frequente e generalizada.

Infelizmente, não há um tratamento específico para essa doença. O que é indicado é o uso de antitérmicos e analgésicos para o alívio dos sintomas. Por isso, a melhor solução para o sarampo ainda é a imunização por meio da vacina tríplice viral.

Amigdalite

Por fim, não podemos deixar de citar a amigdalite, que é uma doença viral e de fácil contágio — especialmente pelo uso de talheres, copos e demais utensílios que são compartilhados por mais de uma criança e, às vezes, até por adultos. Entre os principais sintomas estão:

  • dores de garganta;
  • dores de ouvido;
  • febre;
  • dificuldade para engolir;
  • halitose;
  • gânglios inchados no pescoço.

Para tratá-la, é indispensável a consulta com um otorrino e o uso de antibióticos combinados com anti-inflamatórios durante 4 a 7 dias.

Como você viu, certamente as doenças infantis são bem diversas e se favorecem da umidade reduzida e das baixas temperaturas das estações mais frias do ano. Portanto, é importante reforçar a imunidade com uma boa alimentação, realizar check-ups médicos e estar atento à vacinação dos seus filhos — quando for possível a imunização, é claro.

Então, você gostou deste post? Sendo assim, aproveite para conferir também nossa publicação que fala sobre 5 dicas incríveis para cuidar da sua família!

Deixar Um Comentário