Doença renal crônica: o que é e quais são os tipos mais comuns

| |

No Brasil cerca de dez milhões de pessoas possuem Doença Renal Crônica, segundo o Ministério da Saúde. Além disso, 90 mil dessas pessoas estão em processo de diálise. 

A diálise nada mais é do que um estímulo artificial da função renal, geralmente quando os órgãos atingem apenas 10% de funcionamento.

Por esse motivo é tão importante entender melhor sobre uma doença que atinge tantos de nós. Afinal, 1 em cada 10 brasileiros enfrentam esse problema. Mas o que é uma Doença Renal Crônica? Você sabe?

O que é a Doença Renal Crônica? 

A Doença Renal Crônica são alterações que podem afetar tanto a estrutura quanto a função renal. Essas alterações podem ter múltiplas causas e fatores.

Doenças renais evoluem de forma prolongada e geralmente evoluem a maior parte do tempo sem apresentar sintomas. Por isso costumam ter um diagnóstico tardio. 

Na fase mais avançada da doença, fase terminal de insuficiência renal crônica (IRC), os rins não conseguem mais manter sua função. 

Quando o paciente chega até essa fase ele é submetido a hemodiálise, como principal tratamento. Nesse processo o sangue é filtrado por um equipamento e retorna ao corpo do paciente com menos impurezas. 

Além disso, existem alguns tipos de Doença Renal Crônica que são mais comuns. Entenda quais são.

Os tipos mais comuns de Doença Renal Crônica

Existem alguns tipos desse tipo de problema que são mais comuns do que outros. Ou seja, eles têm maior recorrência de casos. Por isso é importante ficar atento aos tipos mais comuns de DRC e suas causas.

Cálculos renais (pedra nos rins)

Cálculos nada mais são do que as famosas pedras nos rins. Elas se formam principalmente pela baixa ingestão de líquido, combinada com o consumo elevado de sal e proteínas.

As pedras também podem causar dor quando se movimentam, além de obstruir o fluxo urinário. Elas também possibilitam complicações por infecção urinária,  chegando a causar risco de vida.

Infecção renal ou pielonefrite

É quando uma bactéria, a cistite, atinge a bexiga. Ela sobe até o rim, causando febre e dor no local comprometido. 

Nesses casos o tratamento deve ser feito com antibiótico. Além disso, muitas vezes essa infecção necessita de internação hospitalar.

Cistos renais

Esses cistos são como “bolhas” que se formam no meio dos rins. Eles são bastante comuns após os 40 anos de idade.

Geralmente esse problema é diagnosticado através de exames de rotina. Além disso, é comum que os cistos não causem problemas ou sintomas. 

Essa condição não necessita de tratamento, mas precisa ser acompanhada constantemente.

Tumor ou câncer de rin

Essa condição é rara, mas pode ocorrer devido à alta frequência dos cistos renais. Por isso, geralmente são solicitados exames de imagem para um diagnóstico correto. 

Diferente dos cistos, os tumores renais são lesões sólidas, além de conter líquido no seu interior. Geralmente são malignos, mas se diagnosticados no início existe alta chance de cura.

Perda da função renal (insuficiência renal)

A insuficiência renal acontece quando o rim perde a capacidade de filtrar resíduos, sais e líquidos do sangue.  Nesse sentido, algumas doenças podem aumentar as chances de desenvolvimento desse problema. Alguns exemplos são: diabetes e hipertensão arterial.

Isso acontece porque quando não controlamos bem essas patologias elas levam à deterioração renal. Além disso, existem também outras condições de saúde que influenciam no desenvolvimento dessa doença. Compreenda quais são elas.

Principais fatores de risco para as doenças renais crônicas

Existem algumas condições que favorecem o desenvolvimento de doenças renais crônicas. Conhecemos essas condições como fatores de risco. 

Acontece que quem possui essas características estão mais propensas a desenvolverem esse tipo de problema. Entenda quais são:

  • pessoas com diabetes (tipo 1 ou tipo 2);
  • hipertensos;
  • pessoas com obesidade (IMC > 30 Kg/m²);
  • histórico de doenças cardiovasculares ( insuficiência cardíaca, acidente vascular cerebral, doença coronariana, doença vascular periférica e etc);
  • histórico familiar de Doença Renal Crônica;
  • uso de medicamentos nefrotóxicos (que liberam substâncias tóxicas da corrente sanguínea).

Esses são os principais fatores de risco para o desenvolvimento de doenças renais crônicas. Mas você sabe como prevenir essa doença?

Como prevenir a doença renal crônica?

Precisamos dizer que não existe um tratamento preventivo milagroso para doenças renais crônicas. Nesse caso a prevenção está no controle dos fatores de risco, citados acima. 

Por isso é tão importante que, além de conhecer os fatores, tenhamos um acompanhamento médico. Assim poderemos acompanhar de perto como anda a nossa saúde. 

Apesar disso, existem alguns cuidados que podemos incluir na rotina para prevenir problemas como esse. Entenda quais são:

  • pratique exercícios físicos;
  • controle o colesterol;
  • mantenha a glicose regulada;
  • mantenha a pressão arterial estável; 
  • não utilize medicamentos sem prescrição médica;
  • evite o excesso de sal e carnes vermelhas;
  • faça exames periódicos; 
  • consulte seu médico com regularidade.

Tomando esses cuidados podemos evitar ou até mesmo descobrir problemas renais ainda no início.

Gostou de entender melhor sobre o que é a Doença Renal Crônica e seus tipos mais comuns? Então acesse o blog da Maconequi! Temos diversos artigos sobre saúde e bem-estar te esperando.

Anterior

Cuidados pós cesárea: entenda o que precisa ser feito nesse período

O que é disfagia? Entenda os sintomas e por que isso acontece

Próximo

Deixe um comentário