Início>Cuidados com a saúde, Prevenção, Produtos para Saúde>Diapasão médico: o que é e para que serve esse instrumento

Diapasão médico: o que é e para que serve esse instrumento

O diapasão médico é um instrumento de avaliação metálico em forma de forquilha (Y) que, na medicina, é utilizado na Neurologia e na Otologia. Ele permite a avaliação subjetiva da audição, verificando se há algum tipo de perda auditiva e se ela é neurossensorial ou condutiva.

A perda da audição neurossensorial é um dos tipos mais comuns. Origina-se da exposição a sons e ruídos muito altos e por um longo período de tempo, uso constante de alguns medicamentos, fatores genéticos e algumas doenças como caxumba, meningite e rubéola, que pode causar a perda auditiva de bebês ainda no útero. Esse tipo de perda de audição não tem cura, porém o uso de um aparelho auditivo pode ajudar a resolver o problema.

Já a perda da audição condutiva ocorre quando o ouvido externo ou médio sofre alguma lesão ou não funciona adequadamente, seja por acúmulo de cera ou infecções no ouvido interno. Esse tipo de perda auditiva costuma ser temporária, podendo ser tratada com cirurgia ou medicamentos.

Tipos de testes feitos com diapasão médico

Entre os vários tipos de testes de diapasão, os mais utilizados são os testes de Weber e o Rinne.

O teste de Weber é um tipo de teste por via aérea (por meio de fones), feito com diapasões mais graves (128, 256 e 512 Hz). O instrumento é colocado na linha média da fronte, da calota craniana ou junto aos dentes incisivos, onde corre menos chance de erros no exame.

Se o som for ouvido igualmente em ambos os ouvidos, a audição é normal ou a perda auditiva é similar bilateralmente. Nesse caso, diz-se que o Weber é indiferente. Se o som se lateralizar para o ouvido de melhor audição, a perda é neurossensorial no lado afetado; e se o som se lateralizar para o ouvido mais comprometido, a perda é condutiva.

O teste de Rinne é um tipo de teste feito por via óssea (por meio de vibradores) e aérea, usando diapasões de 128, 256, 512 até 1024 Hz. O instrumento é colocado sobre a mastóide (osso localizado atrás da orelha) até que o paciente diga que não está mais escutando o som. Então o diapasão é afastado 2 cm da mastoide, junto ao CAE (conduto auditivo externo).

O Rinne é positivo quando o som é escutado por via aérea após não ser mais escutado por via óssea, e é negativo quando o som não é escutado por via aérea, após não ser mais escutado por via óssea.

O uso do diapasão médico para fins terapêuticos

Segundo o fisioterapeuta acupunturista Doutor Paulo Rossi, todas as células do nosso corpo vibram em uma determinada frequência para cumprir suas funções. As frequências vibratórias podem ser diferentes, variando de um lugar para o outro, mas todas harmônicas entre si.

Dizemos que um organismo é saudável quando ele é harmônico. Estresse, ansiedade e depressão, por exemplo, são doenças que desarmonizam o organismo, por isso o uso do diapasão: para fazer nosso corpo harmônico novamente.

Os garfos do diapasão são colocados diretamente sobre as áreas afetadas, no caso de problemas musculares, articulares, inchaços etc. Também podem ser usados para corrigir distúrbios dos pontos e acupuntura, se tornando muito eficaz, também, na Medicina Chinesa.

Entre as terapias complementares que mais usam esse método estão a meditação, o relaxamento e o sistema acutonics, que é como uma acupuntura sem agulhas que utiliza o poder curativo do som e também auxilia nos tratamentos de insônia, fibromialgia, enxaqueca, intestino preso, tpm, labirintite, asma, entre outras.

 

Deixar Um Comentário