Início>Cuidados com a saúde>Prevenção>AIDS Dezembro Vermelho: chegou a hora de lutar

AIDS Dezembro Vermelho: chegou a hora de lutar

Por |2020-02-03T11:36:10-03:0001/12/2017|Cuidados com a saúde, Prevenção|6 Comentários

Segundo o relatório da UNAIDS, publicado este ano, mais da metade dos portadores do vírus HIV (19,5 milhões de pessoas) já estão em tratamento. Como consequência disso, o número de mortes em todo o mundo causadas pela AIDS reduziu 48%. A África, continente com maior número de infectados, também apresentou queda no número de mortes, de 42%. Além disso, a quantidade de novas infecções também caiu, 20%.

No Brasil, no entanto, os números não são muito animadores: quase metade (49%) das novas infecções de toda a América Latina em 2016 ocorreram aqui, com um crescimento de 3% em relação ao ano anterior. Esse aumento de casos tem ocorrido, principalmente, entre os jovens.

No sentido de mudar essa realidade, o Governo Federal sancionou uma lei que institui o Dezembro Vermelho, uma campanha focada na prevenção da AIDS e outras doenças sexualmente transmissíveis. A assistência e a proteção dos portadores do vírus HIV também fazem parte do plano. Durante esse mês, serão realizadas ações e atividades de mobilização na administração pública e em toda a sociedade.

E, como uma contribuição para o Dezembro Vermelho, preparamos este post com as principais informações sobre essa doença que ainda faz muitas vítimas. Confira!

O que é a AIDS?

A AIDS, sigla em inglês para Síndrome da Imunodeficiência Adquirida, é uma doença causada pelo vírus HIV, que ataca o sistema imunológico e destrói os glóbulos brancos. No entanto, nem todos os portadores desse vírus tem a doença, apesar de poderem transmitir o HIV para outras pessoas.

Quais são as causas?

O HIV pode ser transmitido pelo esperma, pela secreção vaginal, pelo sangue e pelo leite materno.

Assim, uma pessoa pode ser contaminada:

  • na relação sexual (vaginal, anal e oral) desprotegida;
  • no compartilhamento de seringas;
  • em transfusão de sangue contaminado;
  • no uso de instrumentos cortantes não esterilizados;
  • de mãe infectada para o filho, durante a gravidez, no parto e na amamentação.

Quais são os sintomas?

Eles são muitos e variam conforme o estágio da doença. Confira alguns, a seguir:

  • fraqueza;
  • febre;
  • náuseas e vômitos;
  • dores de cabeça;
  • falta de apetite;
  • tosse seca prolongada;
  • emagrecimento rápido;
  • candidíase persistente;
  • diarreia que não passa;
  • suor noturno;
  • inchaço dos gânglios linfáticos;
  • dores musculares e nas articulações.

É importante salientar que a manifestação desses sintomas, comuns em diversas doenças, não significa, necessariamente, a ocorrência da AIDS. Em todo caso, é fundamental procurar um médico para investigar a sua saúde e fazer o teste de HIV periodicamente.

Qual é o tratamento dessa doença?

Infelizmente, a AIDS ainda não tem cura, mas o Sistema Público de Saúde (SUS) oferece tratamento gratuito para a população.

Assim, após a confirmação do seu diagnóstico, o paciente inicia o tratamento com antirretrovirais. Estes medicamentos melhoram a qualidade de vida do paciente ao promover uma redução da carga viral e restabelecer o sistema imunológico.

Como prevenir a AIDS?

A prevenção é um dos principais focos de atenção do Dezembro Vermelho. Por isso, é essencial conhecer as formas de evitar a doença:

  • usar camisinha durante a relação sexual;
  • exigir material descartável ou esterilizado em consultórios médicos e odontológicos, laboratórios de exames, barbearias, serviços de manicure e estúdios de piercing e tatuagem;
  • não compartilhar objetos cortantes, como agulhas, lâminas e seringas;
  • utilizar luvas ao manipular o tratamento de feridas e líquidos contaminados.

Um último cuidado é em relação às mulheres grávidas. Elas devem realizar o exame de HIV no pré-natal e, em caso de resultado positivo, o médico dará as orientações para que a gravidez ocorra com segurança para o bebê.

Diante de tudo isso, enfatizamos que a luta contra a AIDS é de todos e só cabe a nós mesmos mudar as estatísticas sobre essa doença — no Brasil e no mundo. Por isso, participe do Dezembro Vermelho e ajude as pessoas a se conscientizarem sobre a importância da prevenção!

Você gostou do nosso conteúdo? Tem alguma dúvida ou sugestão? Então aproveite o espaço para os comentários e compartilhe conosco sua opinião! Contamos com você!

6 Comments

  1. lustres para sala 15/01/2018 em 13:23- Responder

    Obrigado…Excelente artigo.

  2. Eu realmente aprendi muito.

    • Maconequi 08/11/2019 em 12:04- Responder

      Ficamos satisfeitos por ter ajudado! 😉

  3. Imiteiamake 10/05/2018 em 16:12- Responder

    Ola. Obrigado…Bom artigo.

Deixar Um Comentário