Início>Profissionais da Saúde>Equipamentos>Como usar um desfibrilador externo automático?

Como usar um desfibrilador externo automático?

Por |2020-06-09T10:37:51-03:0009/06/2020|Equipamentos, Profissionais da Saúde|0 Comentários

O desfibrilador é um aparelho gerador de energia elétrica de tensão regulável que é utilizado para conter episódios de fibrilação cardíaca, ou seja, dificuldades de contração. Isso acontece quando os átrios (câmaras superiores do coração) não batem de maneira coordenada com os ventrículos (câmaras inferiores do coração).

Nem sempre essa condição apresenta sintomas, mas quando ocorre incluem palpitações, falta de ar e fadiga. Os tratamentos podem ser feitos por meio de medicamentos, cirurgia minimamente invasiva e choques elétricos com um desfibrilador. Hoje vamos falar sobre um modelo em específico: o desfibrilador externo automático.

Tipos de desfibriladores

Antes de falar do desfibrilador externo automático (DEA), vamos conhecer um pouco sobre os outros tipos de desfibriladores. Além do DEA, existe no mercado atualmente: 

  • o cardioversor desfibrilador implantável (CDI), 
  • o desfibrilador wearable e 
  • a unidade de manutenção dos sinais vitais.

O Cardioversor Desfibrilador Implantável (CDI) é um aparelho pequeno e bastante leve, de aproximadamente 70g, que é acoplado junto ao marca-passo e colocado sob a pele do paciente, abaixo da clavícula. Ele funciona da seguinte forma: quando o paciente tem uma crise de arritmia, o aparelho logo identifica e emite um impulso elétrico para que o marca-passo possa corrigir.

O Desfibrilador Wearable (“vestível”, em inglês) se assemelha a um colete que o paciente, que corre risco de sofrer uma parada cardíaca súbita usa por baixo da roupa. Geralmente, quem usa esse tipo de desfibrilador está esperando para colocar o CDI, então o seu uso é por tempo limitado.

A Unidade de Manutenção dos Sinais Vitais é uma ferramenta usada em ambulâncias e hospitais que permite que a equipe monitore as condições do paciente e intervenha quando a desfibrilação é necessária. Ela também monitora pressão sanguínea, temperatura, ritmo cardíaco, nível de oxigênio e alguns modelos possuem até alerta para infarto miocárdico.

Já o Desfibrilador Externo Automático (DEA) é um equipamento compacto, leve, seguro e prático para o uso em emergências cardíacas. Como o seu uso é simples e possui uma interface intuitiva, qualquer pessoa que tenha sido treinada para utilizar o aparelho, ou seja, não somente os médicos formados, pode manuseá-lo.

Como usar um Desfibrilador Externo Automático (DEA)?

O DEA possui uma tecnologia avançada que dispara uma quantidade menor de energia e é menos agressivo ao paciente sem perder sua eficácia. O diagnóstico é sempre rápido, preciso e automatizado, já que sua tecnologia também permite que o estado do paciente seja avaliado e o tratamento de choque seja feito só quando há uma real necessidade.

Preparação da vítima

Antes de utilizar o DEA, é preciso fazer uma massagem cardíaca no paciente. Se tiver mais uma pessoa no local, o ideal é que um prepare o aparelho e o outro faça a massagem. Fazendo a compressão no peito, deve-se intercalar com a respiração boca a boca ou com o uso de um ambu (reanimador manual).

A massagem cardíaca deve ser feita o quanto antes, principalmente se não há informações sobre o tempo que a pessoa passou desacordada. Outro ponto importante é ligar para a emergência. Mesmo que você tenha o aparelho em mãos, o profissional pode te orientar de forma mais competente sobre como proceder naquela situação.

Cuidados antes de usar o DEA

Antes de usar o desfibrilador, algumas coisas devem ser analisadas para o uso correto do aparelho.

  • Se a vítima for um homem com muitos pelos na região peitoral, a área deve ser raspada para que os eletrodos sejam aderidos diretamente na pele.
  • Caso o paciente esteja molhado, certifique-se de secá-lo.
  • Acessórios de metal como jóias, pulseiras médicas e sutiãs de aros de metal devem ser retirados.
  • O eletrodo não deve ser colocado sobre implantes de marca-passo e medicamentos adesivos pois pode haver interferência na corrente elétrica.

Passo a passo sobre como usar um desfibrilador externo automático (DEA)

Agora que já sabemos o que fazer para preparar a vítima para a desfibrilação, vamos para o passo a passo do uso do desfibrilador externo automático:

  1. Ligue o aparelho e escute atentamente às instruções sobre como proceder.
  2. Posicione os eletrodos corretamente na vítima: o adesivo direito deve ser posicionado embaixo da clavícula direita e o adesivo esquerdo abaixo do mamilo esquerdo (na direção das últimas costelas).
  3. Agora instale o cabo do aparelho na luz indicativa e aguarde o DEA analisar a condição do paciente.
  4. Se a análise do ritmo cardíaco indicar que não há necessidade de efetuar o choque, continue apenas com as massagens cardíacas e aguarde a chegada da ambulância.
  5. Se a análise apontar para o uso do choque, veja se não há alguém muito perto ou em contato com o paciente ou o DEA e só então pressione o botão do choque.
  6. Logo após a primeira descarga elétrica, volte a fazer a massagem cardíaca.
  7. O aparelho dá um choque por vez. Depois de dois minutos, ele faz uma nova análise na vítima e aponta o próximo passo a ser seguido.
  8. Não remova o desfibrilador depois do procedimento. Aguarde o atendimento médico.

Agora que você já sabe como usar um Desfibrilador Externo Automático, que tal adquirir o seu? Nas lojas Maconequi temos disponível o Desfibrilador DEA HeartSine Samaritan PAD, que foi criado especialmente para ser utilizado em áreas públicas.

Deixar Um Comentário