Como usar o termômetro infravermelho: na testa ou no punho?

| |

Você já deve ter ido ao shopping ou mercado durante a pandemia, e logo na porta de entrada, o profissional do estabelecimento mediu sua temperatura. Alguns apontam para a cabeça, outros no pulso, e afinal existe maneira correta? Será que a aferição em regiões diferentes altera a temperatura?

O uso do termômetro digital com sensor infravermelho é um dos procedimentos obrigatórios para o combate da Covid-19 no interior das lojas. Se o cliente registrar acima de 39 graus, ele é convidado a esperar a temperatura baixar. Caso os graus não diminuam, a pessoa é aconselhada a voltar para a casa. 

Quer descobrir como usar o termômetro infravermelho e onde deve ser feita a aferição da temperatura? Então é só continuar a leitura do post.

Testa ou punho: onde medir?

Segundo a Anvisa, são as especificações do termômetro infravermelho que vão determinar se a temperatura deve ser medida na testa ou no pulso. Porém, em setembro de 2020, a Instituição afirmou que, em território nacional, o dispositivo deve ser direcionado para a testa.

A Instituição destaca que o uso do aparelho para medir a temperatura corporal, caso seja apontado para outra parte do corpo, pode levar a erro de leitura. A não ser que tal procedimento esteja explícito e autorizado no manual do produto. 

Ou seja, existem termômetros que foram feitos para serem utilizados no pulso, em vez da testa. No entanto, em geral, o dispositivo é feito para fazer a aferição na cabeça, desde a sua fabricação. Marcas específicas mudam o método de uso.

Os próprios médicos infectologistas recomendam a verificação na testa, já que é um padrão entre os termômetros infravermelhos. Segundo os especialistas, deve-se medir áreas com maior superfície corporal, que não estejam cobertas e fora do alcance da luz solar, esse lugar seria a testa. O pulso, por estar geralmente coberto, pode alterar o valor da medição.  

No entanto, ainda existem profissionais que acreditam na indiferença entre as regiões do corpo humano, já que os graus alteram pouco entre pulso e testa.  De acordo a esses especialistas, mais importante que o local onde a temperatura vai ser medida, é a manutenção correta do termômetro.

Como fazer uma aferição de temperatura segura?

Os passos para conseguir uma medição eficaz, independente de pulso e testa, segundo o Ministério da Saúde são:

  1. Verifique se a manutenção do aparelho está em dia (bateria e calibração do infravermelho).
  2. Higienize o aparelho (garanta que a lente esteja limpa).
  3. A medição não deve ser feita sob a luz do sol para não alterar o valor exibido no visor.
  4. Posicione o termômetro de maneira perpendicular à testa ou pulso (90º).
  5. Informe o paciente qual a temperatura registrada nele.
  6. Se a pessoa estiver com o corpo quente, peça a ela para esperar o calor do esforço passar.
  7. Pessoas com boné e toucas também devem esperar alguns minutos antes de fazer a checagem com o termômetro.
  8. Veja no manual de instruções qual deve ser a distância entre a lente ou sensor do instrumento e a superfície a ser medida.

Somente o termômetro não é a maneira eficaz de combate a Covid 19

Existem alguns pacientes, que mesmo infectados pelo vírus da Covid19, acabam não manifestando febre. É por isso que o uso dos termômetros infravermelhos não garantem um ambiente livre da contaminação.

Segundo o inquérito sorológico conduzido pela Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), somente 52% dos pacientes com Covid apresentam sintomas febril e, caso esses pacientes utilizassem antitérmicos, a temperatura iria diminuir e o termômetro não iria acusar riscos de contaminação.

A própria Anvisa assegura que a temperatura corporal não é o melhor medidor para encontrar possíveis casos de Covid. A instituição alerta que para a pandemia do vírus H1N1 e o Ebola, os termômetros não tiveram resultados eficazes no controle das infecções.  

É por isso que a união do termômetro, com o distanciamento social euso individual de máscara e álcool gel continuam sendo a maneira mais correta de manter os ambientes fechados e coletivos livre do vírus da Covid-19.

É verdade que medir a temperatura na cabeça faz mal ao corpo humano?

A pergunta surgiu após a divulgação de uma fake news que dizia que o termômetro infravermelho, quando apontado na testa, fazia mal à glândula pineal do cérebro. Aparentemente, o grande vilão seria o laser-guia na cor vermelha que teria a capacidade de penetrar a testa.

No entanto, a informação falsa foi combatida pelo Ministério da Saúde. O próprio site não governamental, Covid Verifica, desmentiu a notícia. O portal informativo explica que a luz vermelha é somente um guia para orientar quem está fazendo a medição da temperatura.

O infravermelho não tem potência suficiente para alcançar o interior da cabeça. Esse mesmo site explica que esse tipo de luz é inofensiva e emitida pelo próprio calor do corpo humano.

Afinal, como funcionam os termômetros infravermelhos?

O termômetro infravermelho funciona captando o calor, ondas infravermelhas, que todo corpo aquecido emite. O dispositivo tem a capacidade de converter a energia térmica em energia elétrica, determinando o valor final da temperatura, em apenas segundos.

O aparelho pode detectar a temperatura de pessoas e até objetos. O mais interessante é que o termômetro infravermelho faz essa checagem de maneira rápida e a distância , devido ao laser, que pode identificar com precisão, o objeto e a temperatura emitida.

Não existe contra indicação do dispositivo em infravermelho. Qualquer pessoa pode ter em casa e utilizar o aparelho para verificação da sua temperatura, em suspeita de febre. Só é necessário estar atento às dicas de uso recomendadas pelo fabricante.

Onde comprar os termômetros infravermelhos?

Nas Lojas Maconequi você encontra termômetros infravermelhos de diferentes preços e modelos. As recomendações de uso estão na descrição do produto, você pode selecionar o aparelho mais prático para você!

Anterior

III JAMEG discute sobre o currículo ideal para as vagas de residência médica

O que é dermatite? Descubra quais são os tipos dessa doença 

Próximo

Deixe um comentário