Como saber se estou na menopausa?

| |

A menopausa é o fim da fase reprodutiva da mulher, ou seja, quando ela menstrua pela última vez. Ainda assim, só é considerado menopausa quando a mulher fica 12 meses consecutivos sem menstruar.

A menstruação é um processo em que os óvulos que não são fecundados saem em forma de sangramento junto com a parede do útero. Quando a mulher para de menstruar significa que o estoque de óvulos dela acabou.

Ela costuma ocorrer entre os 45 e 55 anos e quando acontece por volta dos 40 anos, é chamada de menopausa prematura ou precoce.

Já o que chamamos “entrando na menopausa”, é na verdade o climatério, ou seja, um período em que determinados sintomas se manifestam, antes que a menstruação cesse completamente.

É comum também que a menopausa se anuncie por irregularidades menstruais, menstruações mais escassas, hemorragias ou menstruações mais ou menos frequentes. 

Esse é um processo natural e saber identificar os sinais do climatério e da menopausa é importante para que a mulher enfrente essa fase com saúde e bem-estar. 

Quais são os sintomas da menopausa?

Como explicamos anteriormente, a menopausa se refere ao fim da menstruação. E ela acontece pelo seguinte motivo: todos os óvulos que a mulher produzirá ao longo da vida têm sua origem em células germinativas (ou folículos) dos ovários já presentes no instante do nascimento. 

Essa reserva vai sendo usada todos os meses, a partir da primeira menstruação (menarca) até a última (menopausa). Assim, quando morrem os últimos deles, os ovários entram em falência e as concentrações dos hormônios femininos, estrogênio e progesterona caem irreversivelmente.

E para saber se a menopausa está próxima, é fundamental entender melhor como funciona o climatério.

Quais são os sintomas do climatério?

Pode acontecer de algumas mulheres passarem pela fase da menopausa e do climatério de forma assintomática. No entanto, a maioria das mulheres começa a apresentar sintomas de intensidade variável já no início do climatério.

Tais sintomas vão se intensificando com a diminuição progressiva das concentrações dos hormônios sexuais femininos e podem variar muito de mulher para mulher, dependendo de fatores como estilo de vida e genética. 

Os sintomas mais comuns do climatério são:

  • Sensação de inchaço no corpo e nas mamas;
  • Dores fortes de cabeça;
  • Alterações de humor;
  • Irregularidade nos ciclos e variação do fluxo menstrual;
  • As famosas ondas de calor (fogachos);
  • Insônia; 
  • Palpitações;
  • Diminuição da libido;
  • Diminuição da capacidade de concentração;
  • Secura vaginal; e
  • Mal-estar geral.

Existem ainda outros sintomas que não são tão comuns, tais como:

  • Calafrios;
  • Diminuição da memória; 
  • Fadiga;
  • Incontinência urinária; e
  • Aparecimento de espinhas. 

Todos esses sintomas são causados pela perda da capacidade de produção do hormônio estrogênio.

Quais são os sintomas após a menopausa?

Assim como o período que antecede a menopausa, a vida da mulher após a última menstruação também pode sofrer com algumas mudanças, já que essa é uma época muito significativa para o corpo.

Os sintomas mais comuns do pós-menopausa são:

  • Calor;
  • Coceira e secura vaginal;
  • Dor na relação sexual;
  • Redução da libido;
  • Diminuição do tamanho dos seios e perda de firmeza;
  • Sudorese noturna; 
  • Problemas para dormir;
  • Alterações na distribuição da gordura o corpo, que tende a se depositar principalmente na  região abdominal; e
  • Perda de massa óssea.

Quais exames confirmam a menopausa? 

Somente um médico poderá indicar os exames e avaliá-los para confirmar se a mulher chegou na menopausa ou não. Alguns exames que esse médico pode pedir são:

  • FSH (Hormônio Folículo-Estimulante): esse hormônio tem como função promover a maturação dos óvulos durante a idade fértil. Os valores de FSH variam de acordo com o período do ciclo menstrual e a idade da mulher. Caso os exames revelem que os valores desse hormônio estão elevados, isso indica que há uma diminuição na função ovariana, ou seja, diminuição da fertilidade da mulher.
  • LH (Hormônio Luteinizante): o LH é responsável pela ovulação e produção de progesterona e seus valores variam de acordo com a fase do ciclo menstrual. Normalmente, quando os exames revelam valores muito elevados, indica menopausa.
  • Cortisol: é um hormônio naturalmente produzido pelo corpo com o objetivo de ajudar o organismo no controle do estresse e na diminuição da inflamação. Quando encontrado concentrações altas desse hormônio no sangue, pode haver alterações no ciclo menstrual. 
  • Prolactina: é  importante para regular outros hormônios femininos que podem interferir na ovulação e na menstruação. Com níveis altos de prolactina no sangue, a mulher pode apresentar sintomas como menstruação irregular ou ausência de menstruação, assim como sintomas comuns da menopausa. 
  • HCG: hormônio produzido durante a gravidez que tem como função manter a gestação. Se nos exames indicar esse hormônio no sangue, ao invés de alterações hormonais causadas pelo climatério, serão alterações causadas pela gravidez.

É possível também fazer um desses exames de farmácia. Assim como o teste de gravidez, você pode encontrar um teste rápido para medir os níveis de FSH. O teste é feito urinando em um frasco limpo e seco, inserindo a tira do exame nesse frasco por 3 segundos e aguardando 5 minutos para avaliar o resultado.

A urina pode ser coletada em qualquer hora do dia e o resultado positivo é dado quando surgem 2 linhas no teste, sendo uma de cor mais escura que a linha de controle. Em caso de resultado positivo, deve-se consultar um ginecologista para confirmar o resultado e começar um tratamento, caso seja necessário.

Como viver melhor durante o climatério e após a menopausa?

Algumas mulheres desenvolvem os sintomas de forma mais intensa que o esperado. Quando isso ocorre, os sintomas podem afetar negativamente a vida profissional, familiar e afetiva dessa mulher. Sendo assim, existem tratamentos para amenizar esses acontecimentos.

Dessa forma, quando a mulher chega nessa etapa, é fundamental que ela se consulte com um ginecologista. E ele que irá avaliar e indicar a melhor forma de lidar com o climatério e a menopausa, seja por meio de medicamentos, adaptação de uma vida mais saudável ou ajuda psicológica.

A terapia de reposição hormonal tem a vantagem de aliviar os sintomas como a depressão e irritabilidade e também os relacionados com os órgãos genitais, como a secura vaginal e a incontinência urinária. Além disso, ela funciona como proteção contra a osteoporose e assegura melhor qualidade de vida para a mulher. 

Porém, existem contraindicações que devem ser criteriosamente avaliadas, tais como o risco de doenças cardiovasculares, trombose, câncer de mama e de endométrio, distúrbios hepáticos e sangramento vaginal de origem desconhecida.

Alimentação saudável, atividade física regular, não fumar e evitar o consumo de álcool e cuidados com a saúde bucal são algumas medidas simples, que incorporadas à rotina podem ser úteis para minimizar os sintomas negativos do climatério.

Depois da menopausa a mulher não está dispensada do acompanhamento ginecológico que deve continuar sendo feito com regularidade. Também é importante consultar um clínico geral para o controle da pressão arterial, prevenção da osteoporose e de doenças cardiovasculares. 

Além da menopausa, pessoas nessa faixa de idade também precisam conviver com algumas doenças crônicas da fase adulta. Por isso, é muito importante manter todos os cuidados e uma vida equilibrada e saudável. 

E para cuidar melhor da sua saúde, mantenha-se sempre informada com o nosso blog e conheça a nossa loja de produtos para a saúde.

Anterior

Como evitar varizes? Separamos 7 segredinhos para você

Tratamentos para melanoma: quais são as opções para cada estágio?

Próximo

Deixe um comentário