Como saber se estou com depressão? Faça o teste aqui!

| |

Hoje, cerca de 300 milhões de pessoas sofrem com a depressão em todo o mundo. Por isso, muitos já podem ter se perguntado “como saber se estou com depressão?”.

Esse problema surge de um desequilíbrio no funcionamento cerebral. Ele acontece quando neurotransmissores, como a serotonina e a dopamina, apresentam níveis irregulares. 

Nesses casos esse transtorno pode ter causas diversas, como fatores genéticos, traumas, consumo de drogas e até mesmo frustrações. 

Visto isso, é possível compreender a importância de saber mais sobre o tema. Por isso, se você quer entender como identificar a depressão, continue a leitura!

Como saber se estou com depressão?

Por mais que você se pergunte “como saber se estou com depressão?” é importante dizer que o diagnóstico final precisa ser dado por um profissional capacitado, geralmente psicólogos ou psiquiatras. Porém existem maneiras de pré-identificar a presença desse problema. 

Sabendo disso, especialistas identificam um episódio depressivo pela presença de alguns sintomas durante um determinado tempo. O paciente deve apresentar de 5 a 9 sinais característicos da doença, por pelo menos 2 semanas consecutivas. 

Além disso, é essencial que o humor deprimido ou perda do prazer em realizar atividades estejam entre esses sintomas. Pois são sintomas que sempre irão aparecer, em todos os casos, já os demais variam de pessoa para pessoa. 

Dessa forma, existe também um teste que pode indicar um possível quadro de depressão. Apesar disso, é importante lembrar que ele não serve como diagnóstico final. Esse teste ajuda apenas a levantar suspeitas. 

Quer saber se você pode estar em um quadro depressivo, confira o teste abaixo.

Você está deprimido? Teste aqui!

Esse teste consiste em responder algumas afirmações com opções de respostas pré-estabelecidas.  Ao final, as respostas dadas por você devem ser contabilizadas para obter um resultado. Acompanhe o teste:

Passo 1

Responda às questões que vem a seguir com uma dessas opções de frequência:

  • nenhuma vez;
  • dois ou três dias;
  • mais da metade dos dias;
  • praticamente todos os dias.

Passo 2

Agora você deve responder com qual frequência, nas últimas duas semanas, você se sentiu mal por alguns destes problemas. Leia calmamente e responda cada opção de forma sincera.

  • Sentir pouco interesse ou prazer em fazer as coisas;
  • Ficar para baixo, depressivo ou sem esperança;
  • Ter dificuldades para pegar no sono, insônia ou dormir demais;
  • Sentir muito cansaço ou falta de energia;
  • Ter o apetite reduzido ou exagerado;
  • Se sente mal, se considera fracassado ou achar que desapontou os seus familiares e amigos;
  • Ter problemas de concentração para realizar tarefas, ler notícias ou ver televisão;
  • Ficar com a fala arrastada ou se locomover muito devagar, a ponto de outras pessoas notarem;
  • Ter pensamentos suicidas, ou ter vontade de se machucar;
  • Ter dificuldade de superar problemas ou momentos difíceis.

Passo 3

Após responder essas afirmações analise suas respostas. Portanto, se você respondeu “mais da metade dos dias” ou “praticamente todos os dias” para mais de quatro das afirmações sugeridas, o melhor a se fazer é buscar ajuda profissional. 

Também é válido ressaltar que se de alguma forma você se identifica ou concorda com o penúltimo item, isso também pode ser um indício de depressão. O ideal é procurar um profissional capacitado, cuide-se!

Sabendo de tudo isso entendemos que é importante ficar atento aos sinais. Afinal, quais são os sintomas da depressão?

Quais os sintomas da depressão?

Existem muitos sintomas que podem estar ligados à depressão. Além disso, esses sinais são muito individuais. Nesses casos o autoconhecimento de cada indivíduo interfere muito no diagnóstico certeiro. 

Apesar disso, existem indícios que são mais recorrentes em situações como essa. Conheça os principais sintomas da depressão:

  • humor deprimido: sentir tristeza e falta de esperança;
  • perda total ou parcial do prazer em realizar atividades: queda de interesse em atividades que antes eram consideradas prazerosas;  
  • retração social: não consegue ou tem dificuldade de interagir com outras pessoas;
  • agitação ou lentidão exacerbada: estar diferente do seu habitual;
  • mudança de apetite e/ou de peso: apetite exagerado ou a falta dele, acompanhado de grande ganho ou perda de peso;
  • sono alterado: sono excessivo ou insônia;
  • fadiga ou falta de energia: cansaço extremo mesmo sem esforço físico e dificuldade em realizar atividades comuns;
  • sentimento excessivo de culpa: pensar excessivamente em pequenos fracassos, por exemplo;
  • dificuldade concentração: ter lapsos de memória ou dificuldade em assistir TV, por exemplo;
  • pensamentos suicidas: desejo de morrer ou planejar cometer suicídio.

Apesar disso, especialistas afirmam que para que a depressão seja melhor identificada é necessário apresentar pelo menos 5 sintomas como esses citados acima. 

Nesses casos a identificação precoce é importante para que o tratamento seja iniciado rapidamente. Se há suspeitas, é importante procurar um profissional para fazer o diagnóstico e indicar o melhor tratamento.

Esses sintomas podem modificar a vida de quem passa por situações como essa. Por isso é tão importante estar atento aos sinais, com a ajuda de um psicólogo ou psiquiatra. Nesses casos, estar com a saúde mental em dia é a melhor forma de prevenção. 

Agora que você entendeu “como saber se estou com depressão” e os principais sintomas da doença, que tal visitar outros artigos como esse? Aqui no blog da Maconequi temos diversos conteúdos sobre saúde e bem estar te esperando. Acesse e confira!

Anterior

O que é síndrome de burnout? Entenda os sintomas e as causas

Quanto tempo dura o efeito da pílula do dia seguinte?

Próximo

Deixe um comentário