Início>Cuidados com a saúde>Terceira Idade>Aprenda agora como cuidar de pessoas com Alzheimer!

Aprenda agora como cuidar de pessoas com Alzheimer!

Por |2019-12-19T14:01:51-03:0025/06/2019|Cuidados com a saúde, Terceira Idade|0 Comentários

O Alzheimer é uma doença degenerativa que causa a perda gradativa das funções cognitivas. Geralmente os sintomas mais comuns são a perda da memória e certa desorientação. Com o passar dos anos, conforme a doença evolui, o paciente vai demandar cuidados intensos e permanentes por parte dos familiares e cuidadores.

Dessa forma, saber como cuidar de pessoas com Alzheimer é fundamental. Isso vai garantir melhor qualidade de vida, tanto para a família quanto para o paciente. Quer entender melhor como fazer isso e trazer mais bem-estar a esses pacientes? Continue lendo e descubra!

Aprenda mais sobre o Alzheimer

Na doença de Alzheimer, as células do cérebro se degeneram e morrem, e conforme isso acontece, as capacidades cognitivas se tornam prejudicadas. Assim, o comportamento da pessoa muda, e sua capacidade de se relacionar socialmente fica prejudicada.

Dessa forma, o impacto que o Alzheimer causa em uma família pode ser enorme. O paciente começa a perder a a memória e a capacidade de se orientar no tempo e no espaço, além de se comportar de maneira imprevisível e muito diferente do habitual.

Assim, o paciente passa a depender cada vez mais de outras pessoas. Um indivíduo com Alzheimer pode facilmente sair de casa e não conseguir voltar, por exemplo. E pode até mesmo não ser capaz de realizar sozinha suas necessidades mais básicas de alimentação e higiene pessoal. Por isso, saber como cuidar de pessoas com Alzheimer é tão importante.

Entenda quais os estágios da doença

Os sintomas do Alzheimer apresentam piora progressiva. No entanto, isso varia entre os pacientes. Alguns desses sintomas podem se estabilizar por bastante tempo.

Confira a seguir as três fases de evolução que acompanham a doença.

A fase inicial

A fase inicial é facilmente associada com o envelhecimento e costuma passar despercebida. Alguns dos sintomas são problemas com a linguagem e perda de memória recente, por exemplo.

A fase intermediária

Já a fase intermediária apresenta sintomas mais claros. Perda mais evidente de memória, dificuldades em gerenciar a própria vida, grande dependência de um membro da família e a incapacidade de se vestir e tomar banho sozinho.

A fase avançada

Na fase avançada, o paciente pode ter dificuldades para comer, se comunicar e reconhecer parentes. Perde a noção do que ocorre ao seu redor, não consegue controlar seu sistema excretor, tem crises de raiva e apresenta comportamento inapropriado, podendo ficar restrito ao leito.

Saiba como cuidar de pessoas com Alzheimer

Ao cuidar de uma pessoa com Alzheimer, é importante ter paciência e tranquilidade. Nos primeiros estágios, busque promover passeios e atividades em que ela possa socializar. Exercícios, atividades ao ar livre e encontros de família são ótimas opções.

Trate o paciente com respeito. Para isso, procure ter paciência e não fale com ele como se fosse uma criança. Outro cuidado é evitar receber muita gente em casa ao mesmo tempo ou gritar perto da pessoa, pois é preciso manter o ambiente calmo. Do contrário, é possível causar estresse e agitação, podendo piorar o caso.

Mantenha uma rotina estável para o indivíduo e adapte a casa às suas necessidades. Barras de apoio, andadores e cadeiras para banho são exemplos de produtos que podem ser muitos úteis nessas situações. Assim ele vai conseguir se locomover com mais liberdade. Nesse sentido, é igualmente importante não promover mudanças significativas nos móveis e manter sempre à vista elementos que possam facilitar sua orientação no tempo e espaço.

Veja também 4 livros para ler e entender melhor o Alzheimer

Por fim, entender como cuidar de pessoas com Alzheimer leva tempo. Cada paciente apresenta peculiaridades e necessidades mais evidentes. Assim, você vai precisar estar sempre atento às necessidades da pessoa sob seus cuidados.

De forma geral, é preciso ter paciência e seguir as orientações médicas. Fale devagar e use palavras fáceis. Evite ambientes tumultuados, crie uma rotina e não mude os móveis de lugar. Sem muitas perturbações, é provável que o quadro do paciente fique estável por mais tempo.

E então? Essas dicas foram úteis para você? Compartilhe este post nas suas redes sociais e ajude outras pessoas a cuidarem melhor de seus pacientes.

Deixar Um Comentário