Algumas cirurgias precisam ser feitas o mais rápido possível. E uma delas é a cirurgia de apendicite, ou apendicectomia, que atinge de 5 a 10% da população mundial em algum momento da vida. 

E para saber mais sobre essa cirurgia que tem como objetivo remover o apêndice inflamado, não deixe de ler este nosso novo artigo. Aqui, você vai saber mais sobre como funciona a apendicectomia. Acompanhe! 

O que é apendicite

Antes de falarmos sobre a cirurgia de apendicite, é necessário que você  saiba o que é a apendicite, certo?

No geral, ela é uma inflamação seguida por perfuração e necrose do apêndice cecal. Este, por sua vez, é o órgão vestigial que fica próximo ao ceco e à válvula ileocecal, ambos localizados na primeira parte do intestino grosso.

Os sintomas da apendicite são: 

  • fraqueza;
  • falta de apetite;
  • prostração;
  • febre;
  • náuseas;
  • vômitos;
  • dor abdominal.

Assim, caso você perceba esses sintomas, é importante não se automedicar e procurar um médico imediatamente.

O diagnóstico nem sempre é rápido, já que os sintomas são bastante comuns e podem ser facilmente confundidos com outros problemas como gastrite, problema na vesícula biliar, infecção intestinal, vesical e urinária etc.

Por isso, alguns exames precisam ser feitos para que o médico tenha certeza de que se trata de uma apendicite. 

Como é feita a cirurgia de apendicite

A apendicectomia consiste na retirada do apêndice inflamado e pode ser realizada aberta ou laparotomica, de acordo com o estágio e gravidade da doença.

A cirurgia laparoscópica consiste em três incisões menores que 1 cm no abdômen do paciente, onde são introduzidos uma pequena câmera e os instrumentos cirúrgicos.

Nesse caso, por ser pouco invasiva, a recuperação é rápida e as cicatrizes são bem discretas. No geral, em cerca de 15 dias o paciente já pode voltar às suas atividades normais.

Já na cirurgia de apendicite aberta, o corte é de aproximadamente 5 cm no lado direito do abdômen e há a necessidade de uma maior manipulação na região.

Por esse motivo, a sua recuperação é mais lenta e o paciente pode ficar com uma cicatriz visível. 

De qualquer forma, nos dois tipos de cirurgia, a anestesia geral é utilizada. 

Os cuidados pré e pós-operatórios

A cirurgia de apendicectomia é realizada em caráter de urgência assim que o médico realiza o diagnóstico do paciente. Portanto, seus cuidados pré-operatórios consistem em estabilizar o paciente, mantê-lo em jejum, realizar a hidratação venosa e a antibioticoterapia precoce, para evitar complicações. 

Geralmente, cerca de 12 horas depois do procedimento cirúrgico, o paciente já pode se  levantar e realizar alguns movimentos e, em duas a três semanas, o paciente normalmente já está recuperado.

Porém, no caso da cirurgia de apendicite por laparoscopia, a recuperação é ainda mais rápida, devido à menor incisão do corte. 

Mas claro, independente do método utilizado pelo médico, o paciente deve seguir as orientações médicas e evitar esforço físico extenuante.

Caso tenha sintomas como vômitos descontrolados, fortes dores abdominais, febre, tontura e pus na cicatriz, deve-se procurar ajuda médica imediatamente. 

Cuidados necessários para uma boa recuperação

  • Não se apresse para voltar à sua rotina, mesmo que sinta-se forte e animado, o conselho é manter o descanso e não fazer muito esforço. 
  • É natural que logo depois da operação você fique com muita fome após a cirurgia, mas é recomendado comer pouco nas primeiras 24 horas e também beber bastante líquido. 
  • Após esse período, você pode começar a se alimentar de algo mais sólido, como sopas, cremes e frutas. Aos poucos vá adicionando alimentos mais consistentes na dieta. Porém, vá sem pressa, evitando assim que ocorra inchaço, desconforto e diarreia.

Bem, é isso. Como você pôde ver, trata-se de uma cirurgia simples que não oferece grandes riscos, desde que seguidas todas as orientações médicas.