Antigamente, os sintomas de dores na coluna eram mais ligados a somente um grupo de pessoas: os idosos. Contudo, hoje em dia, queixas de dores na coluna estão presentes em todas as idades, inclusive em crianças.

Muitos dos incômodos sentidos na coluna é de razão muscular. Má postura, excesso de atividade física, carregar muito peso (como mochilas pesadas) e até problemas psicológicos, como estresse e ansiedade, podem gerar esse desconforto.

Por mais simples que seja a dor, é necessário saber analisa-la. Descobrir onde dói e qual movimento a faz piorar é importante para que a causa seja diagnosticada e solucionada sem gerar complicações graves.

A maioria dos desconfortos musculares podem ser solucionados usando compressas quentes, fazendo alongamentos ou tomando anti-inflamatórios e relaxantes musculares.

Mas se essas dores vierem acompanhadas de febre, irradiarem para o resto do corpo, provocarem náuseas ou formigamentos é necessário procurar um médico com urgência.

As principais causas de dores na coluna

Para entendermos as dores na coluna é necessário que saibamos identificar em qual local dela você sente dor. Por isso, as regiões da coluna podem ser definidas em três partes: a parte alta que é onde fica a coluna cervical (pescoço), a parte média onde temos a coluna torácica e na região baixa temos a coluna lombar.

1 – Dores na lombar

A região lombar é a mais acometida por dores, isso porque ela é a parte da coluna que mais recebe o impacto das cargas do corpo entre as cinco vértebras que a formam. Por ser responsável pelos movimentos tantos anteriores quanto posteriores do corpo e ter pouca rotação é comum surgirem algumas lesões nessa região.

As hérnias de disco são frequentes nessa área e podem causar dor ao ficar muito tempo na mesma posição, sentado, em pé ou quando há um esforço muito grande para levantar algum peso. Ela se forma pelo fato de haver deslocamento ou ruptura de disco intervertebral que é o que ajuda a lombar a aguentar o impacto da movimentação no corpo. Quedas ou lesões também podem causar o surgimento de uma hérnia.

Ligado a essa região lombar, temos também o nervo ciático que quando comprimido provoca uma dor capaz de dificultar o andar ou de ficar na mesma posição. É uma dor que pode começar no meio da coluna e irradiar até a perna.

Tanto a hérnia de disco quanto o nervo ciático podem ser identificados através de exames de imagens. O melhor tratamento será o que o médico ortopedista indicar ao analisar todo o quadro do paciente, podendo recomendar uso de medicamentos, compressas quentes, fisioterapia e algum exercício físico que fortaleça essa musculatura.

2 – Curvas fisiológicas

Decorrentes de má postura ou de genética, a lordose, a cifose e a escoliose também podem ser a causa de dores na coluna.

A lordose acentua o arco da região lombar, logo acima das nádegas e é comum em pessoas com nanismo, com algum tipo de distrofia muscular ou artrite.

A cifose, também chamada de corcunda, é um arredondamento acentuado das costas para frente e é mais comum em idosos.

E a escoliose é uma curvatura lateral da coluna vertebral muito presente em adolescentes e adultos.

Ambas essas curvaturas podem causar dor ou algum tipo de desconforto. Identificadas por meio de exames de imagens, como raio X, elas costumam ser tratadas com fisioterapia ou RPG.

3 – Tensão muscular

Frutos de ansiedade, depressão e momentos de muito estresse, a tensão muscular comprimi os músculos e tenciona-os. Isso pode gerar dores principalmente na região cervical, onde fica o pescoço e os ombros.

Torcicolo, dores de cabeça, e o surgimento de nódulos são bem frequentes para quem costuma ter essa região muito tensa. Para melhorar esses sintomas é preciso tratar ou buscar técnicas que aliviem o que deixa a pessoa ansiosa, estressada ou até mesmo depressiva. Exercícios físicos, massagens, RGP, relaxantes musculares, terapia podem ajudar a aliviar os sintomas.

Um outro problema de dor na coluna que pode ser fruto do emocional é a fibromialgia. Ela pode começar em alguns pontos específicos da coluna, como a região cervical e lombar, e irradiar para todo o corpo. Deve-se consultar um ortopedista para que ele possa fazer o diagnóstico. O tratamento mais indicado é psicoterapia, medicamentos e exercício físico.

4 – Doenças respiratórias

Dores na coluna decorrentes do esforço de respirar ou tossir, podem ser casos de alguma doença respiratória e não de um problema esquelético ou muscular.

Uma dessas causas podem ser a pneumonia, tuberculose, embolia pulmonar, asma ou bronquite. Nesse caso, se o paciente apresentar esse sintoma ele deve procurar um pneumologista ou um clínico geral o mais rápido possível.

5 – Infarto

Incômodos na coluna também podem indicar que a pessoa esteja tendo algo mais grave, como um infarto.

A dor do infarto vem repentinamente e pode durar bastante tempo. Normalmente ela causa desconforto nas costas em decorrência de uma dor no peito que pode irradiar para braço ou ombro esquerdo, pescoço e mandíbula. Costuma ser acompanhada de mal estar.

Ao qualquer sinal de suspeita de infarto, um médico deve ser chamado imediatamente ou o serviço de emergência para que a pessoa em questão seja socorrida o mais rápido possível.

6 – Pedras nos rins

A presença de pedras nos rins, pode causar dores nas costas e cólicas renais. Se o paciente sentir uma dor que responde na região lombar, isso pode também ser um indicativo de cálculo renal. Em alguns casos, o incômodo é tão grande que pode até impedir a pessoa de andar.

Nesse caso, é necessário consultar um médico especialista para que exames sejam feitos e o melhor tratamento seja indicado.

7 – Lesão muscular

Excesso de atividades físicas ou profissões que exigem movimentos repetitivos e esforço muscular podem acabar gerando dores nas costas do lado esquerdo ou direto. Isso ocorre, porque ao executar esses movimentos em demasiado acaba gerando uma lesão muscular.

A lesão muscular não tem cura, e a melhor forma de cuidar do desconforto é a aplicação de gelo na área lesionada, tomar anti-inflamatórios, usar pomadas como Cataflam ou Traumeel, acupuntura, RPG ou fisioterapia e evitar fazer os movimentos que causem a dor.

8 – Sedentarismo

Você pode não saber, mas o sedentarismo também pode causar dores musculares. Isso acontece, porque com a falta de exercício físico a musculatura da coluna não fica fortalecida, gerando menos resistência a impactos grandes e sobrecargas.

É necessário se exercitar para aumentar a resistência da coluna vertebral e evitar futuros problemas de saúde e dores.

9 – Gravidez

O peso na barriga de carregar um bebê dentro do seu corpo pode gerar desconfortos e até lesões, principalmente na lombar. Isso acontece devido ao sobrecarregamento da coluna.

O mais indicado é fazer pilates, fisioterapia e massagens para evitar a compressão dessa região do corpo.

10 – Envelhecimento

Como dito no começo desse texto, com a idade avançada os ossos do corpo e a musculatura vão perdendo sua força, podendo causar dores e até lesões na coluna. Mas isso não significa que nada possa ser feito.

Atividades físicas como hidroginástica, caminhadas e fisioterapia ajudam a restaurar a força do nosso corpo e consequentemente, aliviar as dores da velhice.

A prevenção é a melhor forma de não sentir dores nas costas

Vários problemas na coluna e de saúde podem ser evitados se tomadas pequenas atitudes diariamente. Entretanto, faz se necessário o acompanhamento de um médico especialista em dores na coluna e fazer alguma atividade física desde cedo. Outras dicas importantes:

  • Ao ficar muito tempo em uma mesma posição ou repetindo um mesmo movimento, pare e tente se alongar um pouco;
  • Procure flexionar os joelhos e contrair o abdômen ao tentar levantar algum peso e nunca tente erguer nada que seja pesado demais para você;
  • Não carregue mochilas pesadas demais;
  • Evite usar saltos altos;
  • Tente sempre manter uma boa postura física e evite a obesidade.

A prevenção é a melhor atitude contra futuras dores na coluna. Se cuide!