O cateter venoso central intracath é um dispositivo estéril indicado na terapia intravenosa central, em infusões de média e longa duração em pacientes críticos. É introduzido no sistema circulatório através de uma punção.

Para fazer esse procedimento, deve-se utilizar técnicas de assepsia. Esse tipo de cateter é de menor custo, porém com agulhas mais calibrosas, fazendo com que haja uma maior possibilidade de laceração, por isso esse procedimento deve ser conduzido por profissional da saúde qualificado para o manuseio do dispositivo.

As técnicas de assepsia são o conjunto de procedimentos que têm como objetivo reduzir os riscos de infecção da corrente sanguínea. Para isso, é necessário fazer a limpeza e antissepsia das mãos e paramentação completa com gorro, óculos de proteção, avental de manga longa estéril, máscara e luvas estéreis. A antissepsia também deve ser feita no local da punção, utilizando campos amplos estéreis fenestrados em seguida.

Passo a passo para a utilização do cateter intracath

ATENÇÃO: É obrigatória a ausculta pulmonar e a realização de radiografia do tórax para a verificação da posição adequada do cateter e excluir possíveis complicações mecânicas. Caso o implante do cateter não seja bem sucedido, deve-se retirar a agulha juntamente com o cateter, nunca o cateter deve ser tirado primeiro.

Nos casos em que o paciente esteja agitado ou desorientado, é necessário que sejam utilizados dispositivos apropriados que limitem a sua movimentação antes de realizar uma venipunção e uma cateterização.

Vamos ao passo a passo.

  1. Analise a anatomia de superfície para selecionar um local apropriado para a punção.
  2. Limpe o local escolhido com solução antisséptica e posicione o campo estéril.
  3. A veia deve ser puncionada mantendo pressão negativa sobre o êmbolo, ao ser atingida luz da veia identifica-se a presença de “sangue” na seringa.
  4. Desconecte a seringa e tampe a abertura da agulha com o dedo para evitar embolia gasosa.
  5. O cateter deve ser introduzido através da agulha de forma suave e sem resistência até obter posicionamento adequado do cateter.
  6. A agulha é retirada da pele do paciente, mas permanece sobre o cateter.
  7. Retire o mandril do cateter, colete amostras de sangue e conecte o cateter ao equipo de infusão.
  8. É necessário efetuar o teste do refluxo.
  9. O dispositivo de proteção que alinha o cateter à agulha deve ser adaptado para evitar o guilhotinamento do cateter pelo bisel da agulha.
  10. Com o auxílio do mandril, estime a posição da ponta do cateter que deve ficar na junção da v. cava superior, aproximadamente segundo espaço intercostal (equivale ao manúbrio do externo).
  11. O cateter deve ser fixado à pele e o curativo feito logo depois.

Passo a passo para a retirada do cateter intracath

ATENÇÃO: O curativo do cateter nunca deve ser removido com tesouras, pois pode cortar o próprio cateter. Caso o cateter se prolongue através de uma área de flexão, a articulação deverá ser imobilizada para evitar irritação mecânica, estrangulamento, ou falha de flexão/ruptura do cateter.

Vamos ao passo a passo.

  1. Higienize as mãos e reunir o material necessário: máscara cirúrgica, luvas estéreis, luvas de procedimento, pacote de gazes e clorexidina alcoólico.
  2. Apresente ao paciente e explique o procedimento, além de solicitar o nome completo e data de nascimento para confrontar com as informações da pulseira de identificação.
  3. Coloque a máscara e calce as luvas de procedimento.
  4. Garanta que o paciente esteja decúbito dorsal ou sentado.
  5. Retire cuidadosamente o curativo anterior, desprendendo as bordas em ângulos de zero grau com a pele do paciente. Seguir a técnica correta de retirada da membrana semipermeável garante que não haja lesão na pele do paciente.
  6. Umedeça a gaze com clorexidina alcoólico e calce as luvas estéreis.
  7. Com a gaze embebida de clorexidina alcoólico, localize o reservatório e os fixe com os dedos da mão não dominante.
  8. Segure o reservatório e, com a mão dominante, segure a agulha.
  9. Oriente o paciente a realizar uma profunda inspiração no movimento de retirada da agulha.
  10. Retire a agulha em um movimento único segurando fixamente o reservatório.

Cuidados necessários

  •       Evite que álcool ou outros solventes químicos entrem em contato com o cateter, pois poderia ocorrer a deterioração do mesmo.
  •       Não utilizar o material se a embalagem já tiver sido aberta ou danificada, pois assim perde-se a esterilização do material.
  •       É preciso fazer um controle periódico para saber se o curativo, a taxa de fluxo e a posição da extremidade do cateter estão seguros.
  •       Após a utilização, as agulhas devem ser depositadas em um recipiente adequado para o descarte de perfurocortantes.